Ser preguiçoso é sinal de inteligência, comprova novo estudo

Os resultados de um novo estudo norte-americano sustentam a ideia de que as pessoas com um QI mais elevado se aborrecem mais facilmente, o que por sua vez faz com que se ‘percam’ com mais frequência nos seus pensamentos.

Já as pessoas mais ativas podem ser dessa maneira por precisarem estimular a mente com atividades externas.

Para efeitos da pesquisa, um grupo de investigadores da Universidade Florida Gulf Coast submeteu os participantes a um teste psicológico clássico (usado há mais de três décadas).

O questionário ‘de necessidade de cognição’ pedia aos participantes para avaliarem o quão concordavam ou discordavam com inferências como:‘gosto muito de realizar tarefas que envolvam criar soluções novas para problemas’, e ‘só penso tão intensamente quanto preciso’.

Os pesquisadores liderados pelo professor Todd McElroy selecionaram depois 30 ‘pensadores’ e ‘não pensadores’ entre os voluntários.

Durante os sete dias que se seguiram ambos os grupos usaram um aparelho no pulso que monitorou os seus movimento e níveis de atividade, fornecendo um fluxo de dados constante acerca do quão ativos ou não estavam sendo. 

Os resultados revelaram que o grupo dos ‘pensadores’ era significativamente menos ativo durante a semana ao se comparar com os seus pares apelidados de ‘não pensadores’.

Os resultados do estudo, publicado no periódico científico Journal of Health Psychology, foram descritos como “altamente significativos” e “robustos” em termos estatísticos. 

Relacionados