Se a saudade da folia apertar é só visitar a Casa do Carnaval

O Carnaval terminou, mas os foliões podem matar a saudade desses dias visitando o museu Casa do Carnaval, onde poderão conhecer a história da maior festa popular do planeta. O museu, que funciona o ano inteiro, fica localizado entre o Terreiro de Jesus e a Praça da Sé, ao lado do Plano Inclinado Gonçalves, e reabre a partir desta quinta-feira (07).

O equipamento funciona de terça a domingo, das 11h às 19h, mas é preciso chegar até as 18h para ter acesso. Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). A administração do museu é da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult).

A casa teve o acervo ampliado em fevereiro deste ano, em comemoração ao primeiro ano de funcionamento. O equipamento cultural agora possui seis novos filmes disponíveis para exibição. Entre as novas aquisições está o filme “Irmãos Macêdo”, que retrata a história dos fundadores do trio elétrico Dodô e Osmar.

Já o curta-metragem “Moraes Moreira” exalta o artista como o primeiro cantor a subir em um trio elétrico, momento em que foi consolidada mais uma transformação da folia momesca, época de transição entre os antigos e o atual Carnaval. Outros três filmes são “Orlando Tapajós”, “Paulo Miguez e Milton Moura” e “Riachão”. Esses conteúdos retratam a estética dos carros de trio, a história da folia e a obra de Riachão, respectivamente.

Além disso, na Casa do Carnaval é possível dar um mergulho na história da folia, através de recursos como maquetes, roupas e instrumentos emprestados por artistas, além de fotos, documentos históricos e dois cinemas, onde os visitantes aprendem sobre ritmos, caracterizados com a ajuda de monitores.