Vítima de fake news, deputada federal baiana vai à PF e cobra investigação

A deputada federal Professora Dayane Pimentel (PSL/BA) esteve, na tarde desta segunda-feira (1), na sede da Superintendência da Polícia Federal, em Salvador, para pedir a investigação de um crime de calúnia e de falsidade ideológica cometidos contra ela e sua secretária parlamentar Jakelyne de Oliveira Teles. Em um grupo de WhatsApp intitulado “Dayane (saiba a verdade”), foi divulgada uma suposta montagem de uma conversa, onde a assessora teria dito a um interlocutor que repassaria parte de seu salário ao marido da parlamentar, o secretário-geral do PSL na Bahia, Alberto Pimentel. Veja abaixo!

De acordo com a assessoria de comunicação da deputada, o “print” da falsa conversa no WhatsApp contém erro grotesto que denuncia a manipulação da imagem. O fato criminoso, segundo a assessoria, foi detectado de pronto pela Polícia Federal. Na sequência das mensagens no post falso, uma mostra o horário “10:31”; a seguinte, “01:32”, num sinal claro de que, na segunda mensagem da sequência, a intenção do criminoso era escrever 10:32.

“Vim à sede da Polícia Federal pedir a investigação imediata dessa calúnia. Trouxemos à autoridade policial os prints das mensagens que estão em grupos criminosos de WhatsApp. Eu, inclusive, pedi para ser ouvida na condição de investigada, de maneira que toda essa monstruosidade seja esclecida e os culpados punidos. Autorizei a PF a devassar a minha vida. Me coloco à disposição da Polícia Federal e da Justiça para que sejam apurados todos esses fatos”, disse a deputada federal, após deixar a sede da PF em Salvador.

A deputada e a secretária parlamentar informaram à autoridade policial que tomaram conhecimento do fato criminoso no final da manhã desta segunda. Segundo o post falso, a secretária parlamentar repassaria parte de seu salário para uma suposta campanha de Alberto Pimentel, no que seria um suposto crime de “caixa 2”. “Queremos debater, mas alguns opositores agem como bandidos e serão tratados como tal. Para eles, não basta tentar esclerecer os fatos, mas é preciso buscar a polícia e foi o que fiz. Não podemos permitir que o esgoto da política seja retratado como normal”, disse a deputada Dayane Pimentel.

Na petição apresentada pelo advogado Lucas Ribeiro à Polícia Federal, destaca-se “que se faz necessário uma minuciosa apuração no grupo como um todo, já que conforme acervo probatório, há incontáveis crimes contra honra em face da deputada, do seu marido e, neste caso, da sua secretária parlamentar”. Dayane Pimentel, por meio do advogado, soliciou ao superintendente da Polícia Federal que “instaure o inquérito cabível e tome as medidas necessárias para fins de resolução da celeuma”.