Petrobras perde R$ 67 bilhões em manhã de pânico na Bolsa

A pós as negociações na Bolsa brasileira ficarem paralisadas por 30 minutos, durante o acionamento do mecanismo de circuit breaker, as ações de Petrobras voltaram a ter forte queda nesta segunda-feira, 9. Os papéis ON recuavam 22,69% e os PN, 24%, às 12h27, enquanto o Ibovespa perdia 8,92%, aos 89.259,77 pontos.

Descontando o tempo de parada de pouco mais de meia hora, as ações foram negociadas por cerca de 45 minutos e, nesse tempo, a petroleira já perde R$ 67 bilhões.

O petróleo do tipo Brent segue em queda, embora menos intensa do que o observado mais cedo, com baixa de 18%, após a Arábia Saudita decidir aumentar a produção da commodity e reduzir os preços, movimento interpretado como retaliação à falta de acordo entre os membros da Organização dos Países exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) de cortes na produção.

De acordo com um analista do mercado financeiro, a decisão da Arábia Saudita pode colocar em risco novos projetos da Petrobras, assim como seu plano de investimentos. Outro especialista aponta que se a queda do preço do petróleo no mercado internacional perdurar a geração de caixa da Petrobras será afetada.

Frigoríficos e aéreas têm perdas

Ações de frigoríficos também se destacam entre as maiores quedas na B3. Os investidores começam a digerir as informações sobre problemas logísticos na China e aumento dos custos de produção, que estariam desafiando a indústria de carnes.

“Com o agravamento do coronavírus na China e a consequente desaceleração da economia chinesa, os portos se tornaram um problema, e contêineres parados no país passaram a ser desviados para outros destinos”, disse a XP Investimentos em relatório.

A avaliação é que a menor circulação de pessoas na China reduzirá o consumo fora do lar, afetando negativamente a demanda por proteínas.

Por volta das 11h40, JBS ON chegou a cair 11,90%, Minerva ON perdia 12,21% e BRF ON tinha baixa de 8,70%. Já Marfrig ON caía 15,99%.

As aéreas também acumulavam perdas. As ações PN de Gol e Azul amargam caem em torno de 10% diante da disparada do dólar que às 11h47 tinha alta de 2,30%, a R$ 4,7403.

Na máxima, chegou a R$ 4,7927. De acordo com analistas, as empresas seguem afetadas, uma vez que cerca de 70% de seus custos são atrelados à moeda americana.

Mortes por covid-19 batem recorde na Índia; estados impõem lockdowns

A Índia registrou neste sábado (8) o maior número de mortes em um único dia por covid-19, com casos continuando a crescer e os estados adotam lockdowns...

Novo decreto em Lauro: aulas presenciais continuam suspensas e restrição noturna passa a valer às 22h

Lauro de Freitas mantém a suspensão da retomada das atividades presenciais nas redes públicas e privadas de ensino e condiciona o retorno das aulas à redução da...

Neymar renova contrato com PSG e vai receber R$ 191 milhões por ano

O atacante brasileiro Neymar renovou contrato com o Paris Saint-Germain até 2025, afirmou o clube francês neste sábado (8). O jogador de 29 anos, contratado pelo PSG em...

Hora Marcada em Salvador: Saúde abre agendamento exclusivo para 2ª dose de CoronaVac neste domingo (09)

Com a chegada de aproximadamente 26 mil doses da Coronavac em Salvador, neste sábado (08), a Secretaria Municipal da Saúde retoma a aplicação do imunizante para fechamento...