Vereadora Mãe Mara de Ogum é vítima de intolerância religiosa e racismo

A vereadora Mãe Mara de Ogum, do município de Muritiba, no recôncavo baiano, foi vítima de intolerância religiosa e racismo. Nas redes sociais, uma montagem compartilhada no WhatsApp por integrantes da Prefeitura da cidade aponta que a ialorixá estava fazendo feitiçaria contra o radialista Antônio Matos, da Rádio Comunitária Muritiba FM.

A confusão teria começado após a vereadora anunciar que doaria seu salário para combater o coronavírus, mas o prefeito Danilo de Babão esteve na emissora e negou. Mãe Mara, então, pediu o direito de resposta e o âncora do programa Alerta Recôncavo, Antônio Matos, ofereceu o tempo de 1 minuto, o que não teria sido aceito.

Em nota enviada ao Informe Baiano, a deputada federal Lídice da Mata, que é presidente do PSB, partido da vereadora, repudiou a agressão virtual. A parlamentar afirmou que entrará em contato com as secretarias de Políticas para as Mulheres, Promoção da Igualdade Racial e Segurança Pública para pedir apuração do caso. “Cabe também uma representação no Ministério Público, pois se trata do compartilhamento de conteúdo que se configura em crime de ódio”, disse. Mãe Mara é pré-candidata a prefeita de Muritiba.

Últimas Noticias

Relato de oficial de Justiça diz que presidente da Câmara se recusou a receber intimação

Relato feito pela oficial de Justiça Cynthia Juliana Pinto, responsável por entregar à Câmara Municipal de Salvador, a intimação...