“Talvez 60 dias não sejam suficientes”, diz Kannário sobre adiamento do Enem

O deputado federal Igor Kannário (Democratas) classificou como fundamental o adiamento da aplicação das provas do Enem, anunciado nesta quarta-feira (20) pelo Ministério da Educação devido à pandemia do novo coronavírus. O parlamentar, no entanto, defende que o Congresso fique atento para o prazo estipulado pelo governo federal, entre 30 a 60 dias depois da data prevista para a aplicação das provas, marcada para novembro.

O adiamento do Enem foi anunciado após o Senado Federal aprovar projeto de lei que previa a prorrogação das provas que tinham como objetivo o acesso ao ensino superior em casos de estado de calamidade no país. Isso se aplica neste momento em que o Brasil enfrenta a pandemia do novo coronavírus.

“O adiamento foi acertado. Temos, no entanto, que ficar atentos para verificar o prazo do governo. Talvez 60 dias não sejam suficientes e o Legislativo tenha que solicitar um adiamento por mais tempo, pois ainda não sabemos qual o impacto da pandemia no calendário das aulas”, afirmou o deputado.

O deputado destacou que a manutenção da prova significaria “uma grande injustiça” com os estudantes da rede pública. “Nós não podemos deixar essa injustiça com a nossa favela. Os alunos da rede pública estão sem aula enquanto os colégios particulares estão com aulas virtuais. Muitos alunos da rede pública nem internet têm em casa para estudar”, destacou Kannário.

Nota Premiada Bahia já contemplou 280 baianos do interior

Com mais de 563 mil participantes inscritos, a Nota Premiada Bahia, campanha de cidadania fiscal do Governo do Estado, coordenada pela Secretaria da Fazenda (Sefaz-BA), já premiou...

Chapa caiu ou não? Confira ato de “Bob Jefferson” que causou polêmica no PTB de Salvador

A decisão do "dono" e presidente do PTB, Roberto Jefferson, de cancelar o apoio ao candidato à prefeitura de Salvador, Bruno Reis (DEM), ainda causa polêmica na...