“Menos comida na mesa” e “ricos mais ricos”, diz Olívia Santana sobre inflação em 10,16%

A deputada estadual Olívia Santana (PCdoB) comentou, através do seu Instagram, a alta em dezembro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que teve mesma variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado hoje (11/01) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou 0,11 ponto percentual (p.p) abaixo do registrado no mês anterior (0,84%). Com isso, em 2021, o INPC fechou o ano com alta de 10,16%, acima dos 5,45% registrados em 2020.

“A inflação fechou em 10,16%. É a maior alta desde 2015. Isto significa menos comida na mesa, remédios caríssimos, carestia, alto custo de vida, desemprego”, explicou a parlamentar baiana aos seguidores.

“A política econômica de Paulo Guedes faz os ricos ficarem mais ricos, faz os dólares deles, em paraísos fiscais, crescerem astronomicamente, incluindo a gorda conta do ministro”, sentenciou a deputada, que acrescentou:

“Para os pobres, só piora, pois já são a maioria do povo brasileiro. O Brasil está completamente governado pela ganância. Basta dessa gente #foraguedes #forabolsonaro”, finalizou Olívia Santana.

Após a variação negativa registrada em novembro, os produtos alimentícios tiveram alta de 0,76% em dezembro. Já os não alimentícios tiveram variação menor que a do mês anterior, passando de 1,11% em novembro para 0,72% em dezembro.

O INPC abrange as famílias com rendimentos de um a cinco salários mínimos, residentes nas regiões metropolitanas de Salvador, Belém, Fortaleza, Recife, Belo Horizonte, Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, além do Distrito Federal e dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís e Aracaju.

Últimas Noticias

Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou hoje (8) por unanimidade a proposta de Resolução da Diretoria Colegiada...