Bolsa família: Governo afirma que eventual gestão Temer vai reduzir programa na Bahia

O Governo Federal criticou a proposta para a área social do vice-presidente Michel Temer, que anunciou através do documento Travessia Social a pretensão de focar as políticas nos 5% mais pobres da população. Dados do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apontam que a medida vai desamparar 36 milhões de beneficiários do Bolsa Família, o que representa 78% de todo o público do programa.

O ministério também divulgou um perfil da parcela que deixaria de ser prioridade em uma eventual gestão do PMDB: 47% estão no Nordeste e 26% no Sudeste, 44% têm até 15 anos, e 63% vivem com renda declarada abaixo dos R$ 77 mensais, considerada a linha da extrema pobreza no país.

O documento diz que essas pessoas são caracterizadas como “incluídas” no sistema produtivo, para em seguida observar que a renda de boa parte não ultrapassa a linha da extrema pobreza.
A descrição dos 5% mais pobres no plano de Temer, segundo o governo, também é equivocada: “grupos humanos esparsos, vivendo em pequenas comunidades isoladas”. O MDS diz que, na verdade, 45% dessas pessoas vivem na região Nordeste. A segunda maior parcela, 20,5%, está no Sudeste.

Por fim a nota divulgada a imprensa afirma que o Bolsa Família beneficia atualmente 46,7 milhões de pessoas de 13,8 milhões de famílias e paga, em média, R$ 165 por família. O programa, segundo o MDS, acompanha a frequência escolar de 17 milhões de alunos e contribui para reduzir a mortalidade infantil no país. Também foi responsável por reduzir em mais da metade o déficit de altura das crianças.

Projeto de Roberto Carlos proíbe apreensão de veículos por atraso do licenciamento

O deputado Roberto Carlos (PDT) propôs que o Estado proíba a apreensão ou retenção, por autoridades de trânsito, de veículos que estejam com o pagamento atrasado do...

Portugal amplia medidas até meados de outubro para combater covid-19

Portugal, que já registrou 71.156 casos até agora, foi elogiado inicialmente por sua reação à pandemia. Agora os casos voltaram a subir, e a autoridade de saúde...