Brasileiros são afetados por vírus que circula no Facebook Messenger

Um vírus que circula no Facebook Messenger já afetou brasileiros. O malware, direcionado para a Rússia, Brasil e outros países da América Latina, conduz usuários para sites infectados. O alerta veio da empresa de segurança Kaspersky. Os primeiros casos foram detectados no início deste mês.

O código malicioso é enviado por meio do chat, como se fosse um amigo, e, ao clicar em um link encurtado no bit-ly, que leva a um arquivo do Google Docs, é aberta a página do Facebook da vítima. Em seguida, é criada uma página parecendo um vídeo e, quando tenta reprodui-lo, o vírus redireciona para sites infectados.

No Chrome, é aberta uma página falsa do Youtube que acusa erro e mostra mensagem solicitando download e uma extensão. Já no caso do Firefox, o usuário é levado a instalar um suposto plugin do Flash Player em .exe. No macOS, a situação é a mesma. Também pede a instalação falsa do Flash, mas no formato .dmg. No Firefox, as vítimas são levadas a baixar um suposto plugin do Flash Player em .exe. Já quem usa macOS e clica no link do golpe pelo Safari vê um alerta que pede a instalação também de uma atualização falsa do Flash, em formato .dmg.

“O adware [sistema que reproduz em massa anúncios indesejados ao usuário como um spam] usa a técnica de cadeia de domínios, que redirecionam e rastreiam usuários através de sites mal-intencionados, dependendo de recursos como idioma, localização geográfica, sistema operacional, informações do navegador de internet, complementos instalados e cookies, entre outros”, explicou ao Techtudo Fabio Assolini, analista de segurança da Kaspersky Lab.

A recomendação dos espcialistas é não clicar em links suspeitos, independentemente se tiver sido enviado por amigos na rede social. Outra dica dada pelos profissionais é utilziar um software antivírus com proteção de navegadores e mensageiros.