JW e Souto: ex-governadores devem entrar na disputa para Câmara Federal

Estão cada vez mais fortes nos bastidores da política os comentários em torno das candidaturas dos ex-governadores da Bahia, Paulo Souto (DEM) e Jaques Wagner (PT), para a Câmara Federal, em 2018. Apesar de membros da esquerda indicarem que o petista quer o Senado, a ideia está perdendo força, pois há apenas quatro vagas na chapa majoritária. Garantida apenas a do governador Rui Costa. Em nome da manutenção de aliados, como Angelo Coronel (PSD), Ronaldo Carletto (ainda no PP), Lídice da Mata (PSB), Félix Mendonça Júnior (PDT) e João Leão (PP), que disputam as outras três vagas, JW deve desistir. De acordo com uma fonte do Informe Baiano, as conversas internas já estão bem avançadas. O ex-governador teria declarado, inclusive, que joga em qualquer posição.

Já o secretário da Fazenda de Salvador, Paulo Souto (DEM), deve ceder aos apelos de aliados, que apontam a sua força no interior baiano como essencial para alavancar a candidatura de ACM Neto a governador. Na rede social Facebook, ele já conta com mais de 70 mil seguidores e sempre realiza postagens, o que não acontecia com regularidade. Alguns pré-candidatos a deputado estadual, a exemplo de Sandro Régis, Tom Araújo, Alan Sanches, Léo Prates e Cláudio Tinoco, já estariam de olho em uma possível dobradinha.

“Se Rui tem JW, Neto tem Paulo Souto. É fato! Agora, se é verdade, só ele ou Neto podem dizer. Mas que, internamente, existe uma mobilização, inclusive dos deputados federais do partido, isso, sem dúvidas. O DEM planeja aumentar sua bancada e para isso, precisa de nomes fortes, limpos e que a população confia”, disse um integrante da cúpula do Palácio Tomé de Sousa nesta quarta (06).