Porque a secretaria de Educação continua acéfala? Publicação de nomeação de Pinheiro no Diário foi há 13 dias. Por Ramon Margiolle

Em 22 de abril, Rui Costa contrariou até os petistas mais fiés do seu governo e para surpresa da platéia anunciou o senador e técnico em Telecomunicações, Walter Pinheiro, como novo secretário estadual de Educação no lugar do professor Osvaldo Barreto. Ninguém entendeu nada! Primeiro, porque ele não tem o perfil para gerir a pasta, apesar da vasta experiência política; segundo, porque o próprio não é muito bem visto pelo “líder-mor” petista na Bahia, Jaques Wágner; e terceiro porque ele abandonou o PT no momento mais difícil desde a sua fundação. Isso mesmo, abandonou, saiu, pediu desfiliação do partido… Então, porque essa manobra, governador?

Em 18 de maio, exatamente 26 dias após o anúncio, foi publicado no Diário Oficial do Estado que o senador sem partido e ex-petista Pinheiro era o novo secretário de Educação. Demorou, mas saiu. Wágner não gostou e disse que ficou surpreso.

Hoje, 1 de junho, 13 dias após a publicação no Diário Oficial da Bahia e 39 dias após o anúncio pelo governador, Pinheiro, acredite, não colocou o pé na secretaria de Educação. Porém, ontem, ele se reuniu em Brasília com o seu suplente Roberto Muniz do PP, mesmo partido do vice-governador João Leão. A secretaria está sem comando? Não tomou posse ainda porque? Tudo bem que são 30 dias o prazo legal para tomar posse, mas, convenhamos, é estranho um senador da República passar esse tempo todo sem assumir o seu cargo. Fontes do Informe Baiano apontaram que apesar de tudo, o atual secretário enviou uma equipe para fazer um levantamento da real situação da pasta. Para que esse levantamento? O senador está assombrado? Tem alguma errada? O que está acontecendo, governador? Será mais um problema que ele vai trazer ao PT?Porque a secretaria de Educação continua acéfala? Wálter Pinheiro, por favor, fala com a gente.

Por Ramon Margiolle

Pinheiro senador