Ativista dos direitos humanos recebe Medalha Thomé de Souza

O professor da Universidade Estadual da Bahia e ativista na luta pelos Direitos Humanos, José Cláudio Rocha, recebeu, na noite desta quinta-feira (17), a Medalha Tomé de Souza, em sessão solene, no Plenário Cosme de Farias, promovida pelo vereador Hélio Ferreira (PCdoB).

O legislador destacou o “importante trabalho” desenvolvido pelo professor. “Diante da trajetória deste profissional, que se dedicou por décadas em uma área essencial à vida da população de Salvador, Bahia e Brasil, e pela atuação como líder de uma causa essencial no cotidiano da vida social e cultural, é um justo reconhecimento conceder esta condecoração”, justificou Hélio Ferreira.

Coordenador Geral do Centro de Referência em Desenvolvimento e Humanidades (CRDH) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), José Cláudio foi conduzido ao plenário pela mãe, Dávia Francisca da Silva Rocha, e pelas filhas, Sofia Freitas Rocha e Beatriz Freitas Rocha. O professor se demonstrou honrado por receber o título na Câmara de Salvador. “É um momento de muita alegria para mim receber esse reconhecimento. A medalha não é só minha. É fruto de um trabalho de toda uma equipe, que luta pelos direitos humanos, por uma sociedade mais justa e igual para todos”, declarou José Cláudio Rocha. A vereadora Marta Rodrigues (PT) presidiu interinamente a sessão especial no momento do discurso de Hélio Ferreira. “É uma homenagem muito justa e merecida”, parabenizou.

Também fizeram parte da mesa: o presidente do Sindicato dos Bancários, Augusto Vasconcelos; o vice-reitor da UNEB, Marcelo Ávila; a pró-reitora de Ações Afirmativas da UNEB, Amélia Maraux; e o coordenador do Centro de Referência em Desenvolvimento e Humanidades, Luiz Carlos Rocha.
Os artistas Geovan Noronha, Ronaldo Bonfim e Ju Lourenço foram convidados para fazer apresentações musicais durante a sessão.

Direitos humanos

Nascido no bairro da Saúde, em Salvador, José Cláudio é de uma família de oito filhos. Sua trajetória no campo da educação começou ainda no Ensino Médio, quando participou do Centro Cívico do Colégio Estadual Doutor Eduardo Bizarria Mamede e do movimento estudantil nos bairros da Saúde e Nazaré.

Em 1983, aos 17 anos, foi aprovado na Universidade Federal da Bahia (UFBA) para o curso superior de Ciências Econômicas, ingressando em 1984. Na faculdade, sempre nutriu interesse pela teoria marxista e por estudos que tratavam sobre a realidade brasileira. Em 1988, Cláudio concluiu a graduação.

Na Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais (AATR), o professor Claudio Rocha deu início a sua vocação para defensor dos direitos humanos, onde atuou como coordenador dos programas de educação jurídica popular, políticas públicas e cidadania. Nesta função, fez um combate profundo ao trabalho escravo na Bahia e no Brasil.

Como dirigente da AATR, fundou ainda o Fórum de Movimentos e Entidades de Direitos Humanos da Bahia (FEMDH), trabalhando pela articulação de políticas públicas, do Programa Universidade e Cidadania e do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas.

Como membro do Conselho Estadual de Proteção aos Direitos Humanos e do Conselho Deliberativo do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas, ambos da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, foi reconhecido por vários pesquisadores do Brasil e do mundo como um ativista fundamental na luta pela manutenção dos direitos humanos em todo o Brasil.