Capitão Alden cobra do TRE ações contra “fake news” e diz que num “país sério campanha do PT seria eliminada”

Eleito deputado estadual com 39.728 votos, o Capitão Alden (PSL) lamentou em entrevista por telefone ao Informe Baiano, nesta quinta-feira (11/10), as informações falsas disparadas em grupos de WhatsApp contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). O oficial da PM citou várias “fake news”, como por exemplo, uma montagem afirmando que o capitão do PSL iria cortar o 13° salário dos trabalhadores.

“A gente sabe o que existe por trás dessas informações falsas. Nunca passou pela cabeça de Bolsonaro cortar o Bolsa Família e o 13° salário dos trabalhadores. Ontem mesmo ele anunciou o 13° salário para os beneficiários do Bolsa Família. Agora, não estamos vendo ações do TRE e do MP contra isso. A legislação é clara sobre essas mentiras que são disseminadas. O caso dos santinhos do ex-presidente Lula foi um absurdo aqui. Se fosse um país sério, a própria campanha do PT já teria sido eliminada”, opinou o socialista liberal.

Veja também: Ao lado de deputada baiana eleita, Bolsonaro diz que vai implantar 13° salário do Bolsa Família

Alden apelou ainda que os “bolsonarianos continuem essa luta de defesa da pátria”, mas sem violência e com o diálogo.

“Toda e qualquer pessoa, mesmo ela, eleitor de Bolsonaro, que agir de forma violenta, tem que ser combatida. Quem atua de forma violenta é marginal, independente do grupo político que faz parte. O momento que a gente passa hoje é muito grave. A inversão de valores que está hoje levou a gente a essa guerra. Mas é uma guerra de ideias”, pontuou.

Na Assembléia Legislativa da Bahia, o capitão da PM baiana disse que não vai ser “nem direita, nem esquerda”.

“Serei independente. Não vou querer nenhum cargo de diretoria, vice-diretoria, nada disso. Se o Governo trazer algum projeto que seja bom para população, votarei favorável. Se não, vou trabalhar para não aprovar e serei crítico”, finalizou Capitão Alden.

Relacionados