Construtor investigado por empreendimento de R$1,32 bilhão paga R$ 28 milhões para deixar cadeia

Herdeiro da construtora OAS, o empresário César Mata Pires Filho decidiu que vai pagar a fiança de R$ 28,9 milhões para deixar a cadeia. O valor foi definido pela juíza federal Gabriela Hardt no processo que investiga o superfaturamento na construção da sede da Petrobras em Salvador.

César Mata Pires Filho está preso desde 26 de novembro, quando se apresentou à Polícia Federal (PF). Assim que o empreiteiro apresentar o comprovante de depósito na Justiça Federal, em Curitiba, caberá à juíza determinar a soltura.

César Mata Pires Filho foi um dos alvos da 56ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em 23 de novembro pela PF. Além do ex-executivo da OAS, outras 19 pessoas foram presas pelos agentes federais.

O empresário é acusado de participar do esquema de pagamento de propina a ex-dirigentes da Petrobras e do Fundo Petros no âmbito da construção da Torre Pituba, na época em que era vice-presidente da OAS. Parte das vantagens indevidas também teriam sido destinadas ao Diretório Nacional do PT, segundo o Ministério Público Federal.

A procuradoria afirma que as empreiteiras OAS e Odebrecht distribuíram propinas de R$ 68 milhões durante a construção da sede. Inicialmente orçado em R$ 320 milhões, o empreendimento custou mais de R$ 1,32 bilhão (em valores atualizados).

Relacionados