Antes de desaparecer, Vado foi orientado a não renunciar ao mandato, confirma Leo Prates

“Saiu com um modelo de carta de renúncia nas mãos e foi impedido pela assessoria da Câmara, dentro dos argumentos, para não renunciar, já que a assessoria viu que ele estava bastante abalado emocionalmente”, disse o presidente da Câmara Municipal de Salvador, Leo Prates (DEM), na manhã desta quarta-feira (05/12) sobre o sumiço do colega Vado Malassombrado, que está desaparecido desde terça-feira (03/12).

Leo disse ainda que os assessores do Legislativo recomendaram que Vado refletisse antes de qualquer medida. A causa da renúncia é desconhecida e o caso é investigado pela Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP), da Polícia Civil.

O estranho sumiço do vereador Vado Malassombrado

Hemoba divulga horários de atendimento durante o período junino

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) atende os voluntários interessados em realizar doação de sangue e cadastro de medula óssea em horário especial nesta...

Governo do Estado inaugura quadra poliesportiva em Coaraci

A quadra poliesportiva do município de Coaraci, no sul da Bahia, foi inaugurada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte...

“Nenhum jornalista pode ser constrangido a revelar a fonte”, diz ministro do STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, determinou em decisão liminar que as autoridades públicas no Espírito Santo abstenham-se de praticar atos que visem responsabilizar jornalistas...

Homem fica com aliança presa ao dedo e bombeiros são acionados

Um dedo inchado, um pouco ferido e uma aliança presa sem consegui ser retirada da forma tradicional. Foi nessa condição que um homem chegou ao quartel do...