Quer começar a investir em 2019? Descubra o seu perfil de investidor

O ano novo está chegando e, com ele, as famosas resoluções para o ano seguinte. Dinheiro é um clássico entre os desejos e metas, né? Se você pertence ao grupo de brasileiros que pretendem fazer algum tipo de aplicação financeira em 2019, mas ainda não sabe por onde começar, a dica é simples: descubra primeiro quem é você no mundo dos investimentos. Cada pessoa tem um perfil e isso é fator decisivo para escolher o investimento adequado para cada um, já que o ideal é que esteja alinhado com objetivos de vida, expectativas e tolerância a riscos.

Fabio Macedo, diretor comercial da Easynvest, explica que existem três principais perfis: conservador, moderado e experiente. Segundo ele, investir em um fundo que não seja compatível com a sua personalidade pode ser uma armadilha, pois pode gerar ansiedade.

Para entender a qual grupo você pertence, a plataforma da Easynvest disponibiliza um questionário, com uma série de perguntas, que resultam em um perfil generalista do investidor. “Nosso sistema diz se você tem características mais ousadas ou não. Sempre recomendamos, também, que o teste seja refeito de tempos em tempos porque, conforme você adquire experiência no mundo do investimento, mais seguro você se sente para novos formatos”, explica Fabio. Também é possível filtrar a busca de investimentos com base no risco que o investidor se propõe a assumir, sendo ele baixo, médio ou alto. Além disso, o site ainda oferece análise do rendimento de cada investimento, disponibilizando todas as informações necessárias para tomar essa decisão.

Para escolher o prazo de resgate do seu investimento é importante definir os objetivos desse dinheiro: longo prazo, para ter uma boa quantia acumulada na aposentadoria e aproveitar a vida; médio prazo, para conseguir, dar entrada em uma casa ou apartamento; ou curto prazo se o dinheiro será para tirar a carteira de motorista ou pagar uma viagem de férias, por exemplo.

Também será preciso decidir se o investimento será feito em uma única parcela, ou diluído em quantias mensais. E se você descobrir que seu investimento ideal exige um aporte inicial que você não tem no momento, não desanime, “Você pode investir em outros títulos e deixar rendendo até atingir a quantia inicial do fundo que você queria inicialmente”, orienta Fabio.