Embasa rebate prefeitura sobre poluição em praia no Rio Vermelho

Em nota enviada ao Informe Baiano nesta sexta-feira (08/02), a Embasa rebateu a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur), que acusa empresa de crime ambiental na praia do Rio Vermelho. De acordo com a Sedur, foi emitida uma notificação devido ao despejo de esgoto no mar após uma fiscalização conjunta da pasta com a Secretaria de Manutenção (Seman), feita na quinta-feira (07/02). A ação conjunta detectou o crime na praia que fica em frente a Fonte do Boi. Veja abaixo a nota da Embasa sobre o caso.

Comunicado da Embasa

Sobre nota da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (Sedur) afirmando que vai notificar a Embasa sobre crime ambiental no Rio Vermelho, a empresa informa que a água que escorre na praia da rua Fonte do Boi, no Rio Vermelho, não é esgoto. Trata-se de um córrego que, após intervenção da empresa ligando todos os imóveis residenciais e comerciais à sua rede, retomou seu fluxo normal. Ou seja, atualmente a Embasa não possui, como diz a Prefeitura, sistema de captação em tempo seco no local. A estrutura, que desviava esse fluxo do córrego para a rede coletora da Embasa, foi desmontada desde o ano passado.

O curso natural de córregos, em cidades litorâneas, segue para as praias. A presença de poluição nas águas deste córrego provém da sujeira e do lixo das ruas, trazidos pela chuva, ou de lançamentos criminosos por parte de moradores ou proprietários que, ao ampliarem ou reformarem seus imóveis, não cumpriram o que determina o código de obras de Salvador, a saber, ligar seus esgotos na rede pública coletora. A fiscalização sobre o cumprimento das exigências do código de obras de Salvador é feita pela poder público municipal.