Cadê a faixa-preta de Cigano? Sem estratégia, lutador do UFC é nocauteado por camaronês

Por

- publicidade -

O catarinense com ascendência baiana Júnior Cigano decepcionou os fãs, mas com certeza não surpreendeu a maioria dos especialistas em arte marcial neste sábado (29/06), no UFC Minneapolis. O dor perdeu mais uma vez para a falta de estratégia e a limitação no octógono. Foi nocauteado no primeiro round, aos 71 segundos, pelo camaronês Francis Ngannou, que agora deve disputar o cinturão dos pesos-pesados.

Infelizmente, o ex-campeão não fez o básico: circular no octógono e deixar o adversário, que é mais pesado, cansar naturalmente. Teimoso, optou pelo “mata cachorro” e o resultado foi desastroso. Deu as costas e levou socos fulminantes. No começo da , até aplicou um chute que alertou o adversário, mas nada demais.

A verdade é que Cigano, mais uma vez, não usou a faixa preta do jiu-jitsu que aprendeu com o mestre Yuri Carlton, não trabalhou as caneladas e optou pelo jogo ultrapassado proposto pelo professor de Boxe Luiz Dórea: “antecipa, direto, se impõe”.

Apesar da derrota, é evidente que tem talento e encanta o mundo do . Logo, ainda há esperança e Cigano pode voltar a ser campeão, mas tem que evoluir, buscar novos ares, mais conhecimento e uma nova equipe. Do contrário, será mais uma vez da teimosia e cairá no ostracismo.

Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC

Programa FazAtleta divulga primeira lista dos contemplados de 2020

A edição do Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (11) apresenta a lista com os nomes dos primeiros 20 atletas que tiveram suas propostas aprovadas pelo...

Pais e filhos ainda mais unidos através do esporte

Domingo, 9 de agosto. No Brasil, hoje é uma das datas mais especiais do calendário, o Dia dos Pais. Em outros países, a comemoração ocorre em momentos...