MV Bill participa de mesa literária no Flin

Batizada de “Os soldados do morro deram baixa e foram vistos com livros na mão”, a segunda mesa do I Festival Literário Nacional: Diversas Leituras e Novos Caminhos, realizado pelo Governo do Estado, no bairro de Cajazeiras, em Salvador, contará com o carioca MV Bill e soteropolitano Paulo Rogério Nunes. O encontro acontece no dia 14 de novembro, a partir das 10h30, e contará com mediação do jornalista e radialista Renato Cordeiro. Às 19h, o rapper, junto à banda Pantera Negras, fará um pocket show no espaço.

O rapper, ator e escritor MV Bill iniciou sua carreira musical aos 14 anos, escrevendo sambas-enredo para o seu pai. O primeiro álbum, “Traficando informação”, foi lançado em 1998 e traz a faixa “Soldado do morro”, uma das canções mais representativas do artista. Em 2005, lançou o livro “Cabeça de porco” em parceria com Celso Athayde, fundador da Central Única das Favelas (CUFA). No ano seguinte, lançou o documentário “Falcão – Meninos do Tráfico” que narra a história de dezessete jovens envolvidos com o mundo das drogas e do qual apenas um sobreviveu.

Já o soteropolitano Paulo Rogério Nunes é publicitário e um dos fundadores do Instituto de Mídia Étnica e do portal Correio Nagô e da aceleradora Vale do Dendê. É considerado um dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo pela organização global MIPAD, ligada à Organização das Nações Unidas (ONU). Foi um dos 11 escolhidos pelo ex-presidente norte-americano Barack Obama para um encontro privado de lideranças. É aluno do Berkman Klein Center da Universidade Harvard, principal centro de pesquisa sobre Internet no mundo. No momento está escrevendo seu primeiro livro sobre inovação e diversidade.

“MV Bill é uma das vozes mais contundentes quando se trata de temas delicados envolvendo a vida cotidiana dos morros cariocas. Sua discografia, documentários e livros dialogam com os temas originais propostos pela mesa: a importância das mídias periféricas em tempos bizarros de fake news e o empreendedorismo possível em nosso contexto social. Por sua vez, Paulo Rogério Nunes, soteropolitano que possui um percurso de alcance internacional que é uma referência para jovens negros das periferias de todo o Brasil”, afirma o conceito criado pelo curador do evento Tom Correia.

De 12 a 15 de novembro, nomes locais e nacionais irão pautar as rodas, mesas e conversas sobre leitura em Salvador. Durante os quatro dias, o público participará de uma série de discussões contemporâneas a partir de mesas temáticas construídas pela e para a juventude. Neste mesmo sentido, o Flin apresenta uma programação que mescla nomes que conectam várias linguagens artísticas. Nomes como Lázaro Ramos, Regina Navarro, Ryane Leão, Jarrid Arraes, Luedji Luna e Larissa Luz foram confirmados.

Ultimas Noticias

MP extingue multa adicional de 10% do FGTS que ia para...

O governo extinguiu a multa adicional de 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de demissões sem justa causa. A decisão...

Não coma fruta parcialmente podre, alerta OMS

Na tentativa de evitar o desperdício alimentar, muitas pessoas optam por retirar a parte podre dos alimentos e consumir o resto. Porém, a Organização...

Bolsonaro sanciona com vetos Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020

O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020. A LDO estabelece que o governo tem de apresentar,...

Em Mata Escura, traficantes desafiam: “Bota a cara, Rondesp”; um morre

Equipes da Rondesp Central trocaram tiros com um grupo de bandidos, na noite de segunda-feira (11/11), no bairro de Mata Escura, em Salvador.Os militares...
Publicidade