Em troca de apoio à PEC, base aliada cobra cargos em empresas estatais

Com o esforço do governo federal em conseguir um placar folgado na votação da proposta de teto de gastos públicos, integrantes da base aliada na Câmara dos Deputados aproveitaram a ofensiva do Palácio do Planalto para negociar a indicação de cargos em empresas estatais.

Segundo um assessor presidencial, ao longo do dia, deputados federais que estavam fechados desde o domingo (9) pelo apoio à iniciativa pressionavam o Palácio do Planalto nesta segunda-feira (10) a atender seus pedidos aproveitando a votação considerada vital para o sucesso do governo Temer.

Os pedidos, de acordo com auxiliares presidenciais, já eram esperados. “Nada que seja surpreendente. Sempre há um deputado federal, inclusive favorável à austeridade fiscal, que aproveita para fazer negociações de seu interesse”, avaliou um aliado do peemedebista.

Para garantir que a proposta fosse aprovada, o presidente montou uma força-tarefa ministerial, que incluiu a criação de um gabinete inteligência para identificar traições na base aliada e a exoneração temporária de auxiliares diretos que detêm mandato de deputado federal.

Com o objetivo de conseguir um placar com folga, que passasse a imagem pública de força política, uma equipe presidencial foi escalada para telefonar para as bancadas federais e foram exonerados os ministros Bruno Araújo (Cidades), Fernando Coelho (Minas e Energia) e Max Beltrão (Turismo), que retornaram para a Câmara dos Deputados.

PEC DOS GASTOS

Em contato com líderes governistas, o peemedebista passou a segunda-feira (10) monitorando as tendências de voto na base aliada e atuou pessoalmente quando informado sobre ameaças de recuos. Segundo a reportagem apurou, o presidente atendeu pelos menos quatro deputados federais que se mostraram indecisos sobre a iniciativa.

Caso houvesse a necessidade uma abordagem mais direta, o presidente deixou a agenda de compromissos livre, assim como os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo).

Para evitar o esvaziamento do plenário, o Palácio do Planalto mandou cancelar todas as audiências marcadas com deputados federais em ministérios e estatais, como o Banco do Brasil e a Caixa. Além disso, montou um sistema online com atualizações sobre o número de congressistas que registram presença na sessão parlamentar.

APROVAÇÃO

Deputados aprovaram a proposta do governo Michel Temer que limita os gastos públicos, na noite desta segunda-feira (10). Foram 366 votos a favor, 111 contra e duas abstenções. Com informações da Folhapress.

Rebeca Andrade conquista ouro para o Brasil na ginástica artística

A ginasta Rebeca Andrade conquistou neste domingo (1º) a primeira medalha de ouro na ginástica artística para o Brasil, nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ela venceu no...

Candeias e São Francisco do Conde registram quatro homicídios no sábado

As cidades de Candeias e São Francisco do Conde registraram quatro assassinatos e uma tentativa de homicídio, somente neste sábado (31/07). As ocorrências foram nos períodos da...

Adolescente de 15 anos tem parada cardiorrespiratória após suposto ato sexual

Gabrielly Dickson Alves Nascimento, 15 anos, morreu na madrugada deste domingo (01/08) após dar entrada em uma unidade de saúde em Cubatão, São Paulo, com uma parada...

Motorista de ônibus é preso por uso de documento falso em Barreiras

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em operação conjunta com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) apreendeu um ônibus de transporte de passageiros na manhã deste sábado...