Ivete Sangalo comanda virada de 2020 em Salvador

Fotos: Bruno Concha

A alegria contagiante e a irreverência de Ivete Sangalo deram o tom da contagem regressiva para a chegada de 2020. “Mainha”, como popularmente é conhecida pelos fãs e seguidores, comandou a passagem de ano no Festival Virada Salvador, na Boca do Rio, e levou à loucura o público presente na Arena Daniela Mercury, botando todo mundo para pular que nem pipoca.

- publicidade -

O show começou por volta das 23h48 e, antes da pausa para queima de fogos, que aconteceu pontualmente à meia-noite, “Veveta” aqueceu a multidão com os sucessos “Teleguiado”, “Cadê Dalila?” e “Nabudonosor”.

Nessa hora, ninguém pôde negar: a atmosfera da Arena Daniela Mercury foi tomada por uma grande euforia. Havia gente com balões com dizeres de amor, outros filmando e tirando selfies com o celular para registrar cada momento.

“É maravilhoso estar aqui. Ivete é a nossa rainha. Virar o ano ao som dela é um prazer indescritível”, disse, chorando, a jovem Laila Barcelos, 19 anos. A psicóloga Andreia Benucchi, 35, conta que a virada de ano em Salvador é diferenciada de outros lugares. “Já passei virada em dois países da Europa. Não chegam aos pés daqui. Ainda mais com Ivete. Ela é uma das maiores representantes da música baiana e brasileira, Está sempre no auge. A energia que ela espalha é o suficiente para nos contagiar”, afirmou.

Show piromusical – Quando os ponteiros do relógio bateram meia-noite, Ivete festejou junto com a multidão a chegada de 2020, em mais um momento memorável de espetáculo de queima de fogos.

“Vamos abraçar todo mundo. Que todos tenham um feliz ano novo com mais carinho, respeito, alegria, saúde e felicidade. Um 2020 com muitas bênçãos”, disse a artista, antes de cantar a música “O Mundo vai”, aposta para o verão. A apresentação da artista também contou com a participação dos Filhos de Gandhy.

Foram mais de 28 toneladas de artefatos pirotécnicos capazes de produzir um show piromusical exclusivo, desenhado e criado especialmente para a cidade.

A exibição, além de ter tido uma beleza visual tridimensional com efeito específico em cada momento, contou com uma tecnologia que segue uma tendência mundial de redução de ruídos, trazendo ainda mais conforto para o espectador. A queima teve 15 minutos. No entorno da Arena Daniela Mercury, três pontos de disparo simultâneos poderiam ser observados, com efeitos de troca de cores a cada 14 segundos.

Além do local, outras 17 localidades na capital baiana também tiveram queima de fogos para marcar a virada de ano, como a Barra, Rio Vermelho, Amaralina, Jardim de Alah, Patamares, Itapuã, Cajazeiras e Periperi.

Fábrica de asfalto deve implantar unidade industrial em Feira de Santana

A Companhia Brasileira de Asfalto da Amazônia (CBAA) firmou protocolo de intenções com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), na segunda-feira...

Carga de carne roubada em Correntina é recuperada e quatro são presos

Investigadores da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas em Rodovias (Decarga/Feira de Santana) prenderam quatro homens com uma carga de 22 toneladas de charque...

Osba e Léo Santana participam da programação da Hemoba no Dia Nacional do Doador de Sangue

O cantor Léo Santana e a Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) se unem à campanha “Somos Todos do mesmo Sangue”, da Fundação Hemoba e mais 16 hemocentros...

Última semana para inscrições do Fazcultura 2020

As inscrições para propostas culturais a serem apoiadas pelo Programa Estadual de Incentivo ao Patrocínio Cultural (Fazcultura) será encerrada na próxima terça-feira (1º). As inscrições podem ser...