Impeachment de Bolsonaro? Dayane Pimentel opina e desabafa em live do IB

Coordenadora na região Nordeste da campanha vitoriosa de Jair Bolsonaro, a deputada federal Professora Dayane Pimentel (PSL) participou da live do Informe Baiano na noite de terça-feira (29/04) e opinou sobre diversos assuntos, entre eles, o impeachment do presidente da República. “É cedo para iniciar a discussão?”, perguntou um internauta.

A parlamentar classificou a situação atual de “extremamente delicada” e questionou se deveríamos “aguardar ele fazer mais bobagem”. Em seguida, respondeu: “Se for por isso não é cedo”.

Dayane acrescentou que “estamos atravessando uma crise na saúde, uma crise na economia que tende a piorar, uma crise administrativa”. Cautelosa, a líder do PSL baiano pontuou que caso seja provado que Bolsonaro “realmente fez algum crime” é necessário “pensar nessa possibilidade”. Lembrou ainda que “o ministro Celso de Mello, do STF, já está averiguando isso”.

“Das duas uma: ou o presidente muda e volta a ser aquilo que ele prometeu durante a campanha, o que eu acho muito difícil. Ou então ele precisa sair, sim. A gente precisa construir um país melhor. A esquerda inteira está dando risada da nossa cara. Nós estamos em confronto com aquele que prometeu acabar com o sistema. Nós estamos em confronto com ele porque ao viés dele acabar, ele abraçou. Então é muito delicado falar sobre isso e para mim é uma tristeza muito grande. Eu queria estar super satisfeita com o presidente, mostrando resultados a nível da União pros esquerdistas, não como vingança e nem superioridade. Não é isso. Mas para dizer: ‘olha, o nosso programa deu certo’. Mas não estamos conseguindo fazer isso”, lamentou.

A política baiana disse também que “a questão reformista” foi ignorada pelo presidente e só aconteceu a Reforma da Previdência, por exemplo, porque “os deputados correram atrás”. Por fim, fez um desabafo.

“Está uma bagunça muito grande, um clima de hostilidade muito pesado. Não está unindo o Brasil. O presidente gosta de confusão, se meteu em confusão, não sabe como vai fazer para livrar os filhos dele de investigações. Então, isso tudo na cabeça dele fez com que ele, simplesmente, abandonasse todo grupo que iniciou com ele e todas as propostas de campanha. E está trazendo esse resultado que estamos vendo: loteamento de ministérios, sim. Já passou o FNDE pro Centrão, o Porto de Santos também passou. Passando também muita coisa do Ministério da Infraestrutura. Já se fala em passar o Ministério de Ciência e Tecnologia. Já passou o Ministério da Saúde para um ministro que não está mostrando agilidade nenhuma. E tirou o nosso maior ícone no combate à corrupção, o ministro Sérgio Moro”, finalizou Professora Dayane Pimentel.

Jaguaquara e Angical: 8 bandidos localizados com armas

A Polícia Militar apreendeu armas de fogo, facas e aparelho celular, no domingo (09/05) e nesta segunda-feira (10/05), em ações nos municípios de Jaguaquara e Angical. Oito...

Banco Central abre consultas para saques e trocos via Pix

Até 9 de junho, correntistas e clientes de todo o país poderão apresentar sugestões para que o Banco Central (BC) aperfeiçoe dois novos serviços que farão parte...

Pré-sal: Petrobras firma contrato para construção de sétima plataforma

A Petrobras divulgou hoje (10) que assinou contrato para construção da P-78, sétima unidade a ser instalada no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos....

STF dá prazo para Anvisa detalhar documentos pendentes da Sputnik V

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski deu hoje (10) prazo de 48 horas para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informe quais...