Professora Dayane: rejeição a Colbert é resposta a má gestão

A decisão da deputada Professora Dayane Pimentel (PSL) de não apoiar nenhum dos dois candidatos que disputarão o segundo turno em Feira de Santana e ser enfática ao afirmar que não votaria jamais para reeleger o atual prefeito Colbert Martins (MDB), dando a entender que votará nulo ou branco, tem relação com a avaliação muito ruim que faz da atual gestao.

Há ainda outro detalhe que fundamenta a escolha da Professora Dayane: apesar das diferenças ideológicas com Zé Neto, ela salienta que o petista sempre demonstrou respeito por seu mandato, ao passo que Colbert sempre buscou miná-la na cidade, ainda que ela seja a parlamentar que mais recursos enviou para Feira: R$ 14 milhões.

“Quem vencer o segundo turno terá minha oposição, mas terá minha colaboração em tudo o que for necessário. Entre um ou outro, prefiro manter minha coerência que, desde o primeiro turno, foi clara: mudança! Não tomarei outro rumo por causa de barganhas. Não aceitei nenhuma oferta e isso é posição de político que se respeita”, declarou a parlamentar feirense ao Informe Baiano. No primeiro turno realizado em 15 de novembro, a prefeiturável do PSL teve quase 14 mil votos e ficou em quarto lugar.

A dirigente estadual do PSL salienta que sua trajetória de combate à corrupção tem confirmação na fiscalização tanto das ações do PT quanto do MDB: portanto não se trata de defender uma sigla ou outra. Em Tanquinho, por exemplo, o próprio Colbert Martins pediu votos para Zé Luiz (PT), que foi eleito prefeito daquela cidade.

Em entrevista coletiva realizada na quinta-feira (19), embora líder e presidente do PSL em Feira, a parlamentar deixou seus eleitores livres para decidir em quem votar, não dispensando a eles o tratamento de mera massa de manobra. A deputada federal sabe que seu eleitorado entende que ela rompeu com o presidente Jair Bolsonaro e que esta votação que ela alcançou em Feira de Santana representa pessoas que não estão preocupadas com embates ideológicos.

A parlamentar apontou ainda ao Informe que a direita não pode ser moralista de ocasião: “Colbert foi preso por corrupção. Apoiá-lo não é combater o PT, apoiá-lo é ser permissivo com o erro. A cidade teve uma dezena de opções e decidiu pôr Colbert e Zé Neto no 2º turno. Colbert, portanto, é o principal responsável por esse embate”, disse a presidente do PSL em Feira de Santana.

Mesmo sem uma declaração de voto da Professora Dayane em um petista, é possível projetar que os preciosos votos que foram dados a ela no primeiro turno podem migrar então para Zé Neto que, assim, pode ter vantagem ainda maior sobre o atual prefeito de Feira e candidato à reeleição no segundo turno. A avaliação que se faz é que os eleitores de Feira de Santana que votaram em Dayane não estão numa bolha ideológica, mas em busca de trabalho e resultados.

“Quem vai dizer quando o carnaval vai acontecer é a ciência”, afirma secretário do turismo do estado

Questionado sobre a pressão para que seja definida uma data para realização de grandes eventos na Bahia, a exemplo do carnaval, o secretário do turismo do estado,...

Fiocruz: 130 milhões podem receber vacina de Oxford em 2021

A vacina contra covid-19 que será produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a farmacêutica Astrazeneca e a Universidade de Oxford deve chegar a 30...