Verão: o que pode e o que não pode consumir

O dia 21 de dezembro marca a entrada do verão no hemisfério sul. As altas temperaturas aliadas ao maior tempo em casa podem desencadear doenças gastrointestinais ou até mesmo piorar condições já existentes. As pessoas mais idosas e as crianças são mais propensas aos distúrbios gastrointestinais secundários por conta do clima muito quente do verão.

Segundo a gastroenterologista do Hospital Brasília Zuleica Barrio, os distúrbios mais comuns nesta época são as gastroenterites agudas. Elas são caracterizadas por diarreia, vômitos e cólicas abdominais.

“A melhor forma de prevenir [estes distúrbios] são as medidas de higiene: lavar sempre as mãos antes das refeições, lavar muito bem as frutas, verduras e legumes, só ingerir água filtrada e tratada. Cuidados com a conservação dos alimentos também é essencial, lembrando que não se deve deixar os alimentos em temperatura ambiente por muito tempo, pois isso estimula a proliferação das bactérias que podem desencadear as diarreias”, aconselha a médica.

O nutrólogo e coordenador clínico da Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional do Hospital Águas Claras, Leandro Marques, destaca que o metabolismo é mais lento no calor e, por isso, a recomendação é ter uma alimentação mais leve, rica em vegetais e frutas.

“Um dos fatores que mais influencia a digestão é a composição química dos alimentos. Aqueles mais ricos em gordura possuem uma digestão mais lenta. Na maioria das vezes o cardápio dos encontros sociais é carregado de pratos e comidas gordurosas, como: churrasco, feijoada, entre outros. Ao mesmo tempo, o nosso organismo tem que se adaptar ao calor, equilibrando a temperatura corporal através do suor. Dessa forma, a sensação de estômago cheio se torna ainda maior com a digestão lenta e suor excessivo”, explica o nutrólogo.

Assim, os alimentos mais recomendados para consumo nessa época são: vegetais e frutas, carnes magras (peixes e aves) e boas fontes de gorduras (azeite e castanhas). O médico ainda destaca a atenção à hidratação para que não ocorra desidratação. Por isso, as bebidas mais recomendadas nesse período são: água, água de coco e suco de frutas.

“Não existe nenhum alimento ou bebida proibidos, entretanto, podemos moderar o consumo de alimentos mais ricos em gorduras e o consumo de bebidas alcoólicas; e, a fim de ter uma vida mais saudável, evitar, assim como em todas as épocas do ano, alimentos industrializados, processados, junk food, guloseimas, alimentos ricos em açúcar e refrigerantes”, recomenda Leandro Marques.

Zuleica Barrio ainda reforça: “na época do calor, devemos ter uma alimentação mais leve, com menos gorduras, rica em frutas, legumes e, principalmente, líquidos. A boa hidratação nos previne de muitos problemas, além de estimular o processo digestivo e o intestino”.