Biden fará ‘blitz’ de decretos para reverter ações de Trump

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, vai promover uma “blitz” de decretos em seus primeiros dias de governo para reverter decisões tomadas por Donald Trump em seus quatro anos de mandato.

Segundo a imprensa americana, o democrata assinará 10 decretos em um período de no máximo 10 dias para abolir medidas controversas de seu antecessor, como a proibição de entrada nos EUA de imigrantes de alguns países muçulmanos e a saída do Acordo de Paris sobre o clima.

Além disso, Biden vai firmar decretos para reunir famílias separadas na fronteira mexicana, determinar uso obrigatório de máscaras em propriedades federais e em viagens interestaduais e suspender despejos e execuções hipotecárias em âmbito nacional.

O presidente eleito ainda planeja enviar ao Congresso um pacote de US$ 1,9 trilhão para estimular a economia, incluindo o aumento do salário mínimo de US$ 7,25 para US$ 15 por hora.

Biden também promete vacinar 100 milhões de pessoas contra a Covid-19 nos primeiros 100 dias de governo.

Rezei hoje na entrevista coletiva por uma resposta positiva sobre a Covid-19

Pressão grande, inimigo invisível, batalha árdua e ignorância. Não está nada fácil a guerra contra a Covid-19. Para completar, boa parte das pessoas nem imagina as dificuldades...

População deve descartar corretamente lixo contaminado por Covid-19

Pessoas infectadas com a Covid-19 e seus familiares precisam tomar alguns cuidados ao descartar o lixo para a coleta diária. A orientação é da Empresa de Limpeza...

Prefeitura de Simões Filho realiza ação de conscientização contra a Covid-19 em diversos pontos da cidade

A Prefeitura de Simões Filho segue promovendo o combate e enfrentamento ao Coronavírus, através de várias ações, a exemplo das desenvolvidas pelas equipes de saúde em diversos...

Bruno Reis: “Aumento dos combustíveis impacta ainda mais no transporte público”

Questionado pelo Informe Baiano sobre o aumento dos combustíveis anunciado hoje (01/03) pela Petrobrás, o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), disse que a decisão "impacta ainda...