Kannário revela que foi ovacionado no presídio e superou as drogas antes de virar deputado

Igor Kannário, 36 anos, um dos cantores mais populares da Bahia, pegou os fãs de surpresa nesta sexta-feira (29/01) ao divulgar em suas redes sociais o vídeo-documentário ‘Kannário por Kannário – A história real’, onde detalha toda sua trajetória artística. O baiano de Salvador, filho da Liberdade Linha 8, abre o coração em uma entrevista de mais de uma hora. Ele fala sobre drogas, polêmicas, laranjadas, falcatruas, preconceitos e superação.

O artista passou por vários grupos musicais, entre eles Patrulha do Samba e a A Bronkka, banda que criou e fundou, mas acabou sendo enganado e vítima de “falcatruas”, conforme revelou. Entre os seus sucessos ao longo da carreira, “Vizinho conspirão”, “Quero é prova e 1 real de big big”, “Você tá na minha mira” e “Tudo nosso, nada deles”.

“A música é minha alma, minha sombra. A música sou eu, eu sou a música”, diz o artista no vídeo, que traz momentos emocionantes e também polêmicos. Kannário fala sobre a maior pipoca do mundo, que saiu pela primeira vez em 2012, quando mais de um milhão de pessoas o seguiram no Circuito Osmar, no Carnaval de Salvador. Critica o prêmio Trófeu Dodô & Osmar, que já foi alvo de diversas críticas e questionamentos sobre a metodologia e motivação para decidir o vencedor.

Um dos momentos mais tensos do bate-papo é quando, pela primeira vez, ele falou sobre a luta contra as drogas e revelou como foi sua prisão “abusiva”, de acordo com a decisão do juiz responsável pelo caso, que aconteceu em janeiro de 2015. Kannário afirma que foi abordado por duas viaturas da 37ª CIPM.

“Eu só tinha lá um ‘beque’ e botaram um bocado de droga. Passei um dia de trevas e no outro dia eu fui parar lá no presídio”, lembra o artista que ficou numa “cela com 17 cabeças” e sustenta que nunca se envolveu na criminalidade: “Eu driblei tudo isso”.

“Achei que minha carreira tinha acabado e que minha vida tinha acabado. Eu sabia que o sistema fava chateado comigo e queria me banir”, acrescenta, que em seguida fala sobre o momento que chegou no presídio.

“Os caras falaram: ‘rapaz, é o Kannário mesmo’. Aí um cara falou: ‘porra meu pivete, seu lugar não é aqui, não. Armaram pra você’. ‘Eu falei: vou fazer o que, mano’. Todas as celas começaram a cantar minha música. Pense num presídio: ‘tudo nosso, nada deles’”.

“A minha música é para todo tipo de gente…Todo tipo de gente ali e todo tipo de gente gritando por um cara que não é ladrão, que não é traficante, que nunca se envolveu com o tráfico. Então ali foi que eu vim entender porque a galera me chamava de Princípe do Gueto. Foi ali que eu vim entender. Eu tinha respaldo na favela toda e não sabia”, vibrou.

“Foi um mal que veio para bem. O juiz disse que a prisão foi abusiva e não tinha porque eu descer diretamente (pro presídio) e que teve falcatrua na prisão. Eu sai 7 da noite e no outro dia eu estava estourado no mundo inteiro”, disparou.

Kannário também falou sobre como Deus agiu em sua vida e incentivou os mais jovens. “Favela vencendo de 20 em 20 segundo. Pra cima porque foguete não dá ré”. Por fim, também falou sobre os novos projetos Kannário versões” e “Kannário eletronizando as ruas”. Assista abaixo ao vídeo:

Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em abril

Trabalhadores informais nascidos em abril começam a receber hoje (13) a nova rodada do auxílio emergencial. O benefício terá parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo...

RG Expresso vira principal forma de solicitar nova carteira de identidade

A pandemia do novo coronavírus ainda está em vigor e a recomendação é ficar em casa. Para quem precisa de uma nova carteira de identidade neste período,...

Dois suspeitos de envolvimento em latrocínio de policial na Santa Mônica são presos

Dois homens estão detidos sob suspeita de participação no latrocínio do policial civil Joel dos Santos de Jesus, 49 anos, morto na noite desta segunda-feira (12/04), no...

Registro de peixes no Rio Pinheiros cria esperança, diz especialista

Imagens de peixes nadando no Rio Pinheiros, no trecho próximo à ponte Cidade Jardim, na capital paulista, foram divulgadas nos últimos dias em redes sociais e pelo...