Trabalhadores rurais agredidos em Formosa do Rio Preto por milícias de fazendeiros

Trabalhadores rurais da comunidade Arroz, em Formosa do Rio Preto, foram vítimas de agressões e ameaças de milícias da região, comandadas por fazendeiros, no último dia 24 de março.

Segundo informações da Associação de Advogados/as de Trabalhadores/as Rurais no Estado da Bahia (AATR), a região está no centro de conflitos de grilagem de terras, mas desde 1984 uma decisão judicial garante a posse às famílias do Arroz, que a utilizam para tirarem o seu sustento.

A deputada estadual Neusa Cadore e o deputado federal Afonso Florence emitiram nesta segunda-feira (05/04) uma nota de solidariedade às famílias, na qual denunciam o caso e cobram providências às autoridades. Os parlamentares afirmaram que a situação já foi comunicada à Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e ressaltaram o compromisso dos movimentos sociais que estão acompanhando o caso, como a Associação do Desenvolvimento Solidário e Sustentável (ADES) – 10envolvimento, a AATR e a Comissão Pastoral da Terra.

Florence afirmou que todo apoio será dado para garantir a segurança das famílias, “pessoas armadas invadiram a área da comunidade, espancaram e ameaçaram pessoas simples. Vamos lutar para fazer valer a lei, que os criminosos respondam por seus atos, e a comunidade segurança para voltar para sua terra”, afirmou Florence.

Neusa alertou sobre o crescimento dos conflitos no campo e da violência contra povos e comunidades tradicionais, colocando em risco a vida e a integridade das pessoas. “A defesa dos territórios, da preservação das águas e do cerrado é uma luta histórica de resistência dos nossos povos. Estamos mobilizados para que a justiça aja com celeridade e a comunidade possa ter seu direito à moradia assegurado e a sua proteção garantida”, afirmou a deputada.