Trançadeira espancada e estuprada pelo marido na Barra não resiste

Uma mulher de 26 anos, identificada como Daiane Jesus Santana, morreu no dia 7 de junho em decorrência de politraumatismo. O crime aconteceu no dia 13 de maio, na Rua do Clube Amazonas, no bairro da Barra. Internada no Hospital do Subúrbio por 25 dias, não resistiu aos ferimentos.

A vítima trabalhava como trançadeira e era bastante conhecida na região. Ela foi covardemente espancada dentro de casa. Além disso, constantemente, era dopada, mantida em cárcere privado e estuprada pelo criminoso.

A jovem tentava encerrar o relacionamento, mas o assassino, que morava no Calabar, não permitia. O homem está sendo procurado e seu mandado de prisão foi emitido pela Justiça nesta sexta-feira (11/06), mas a identidade ainda não foi divulgada pelas autoridades policiais.

Daiane deixa dois filhos pequenos. A 1ª DH/Atlântico investiga o caso.