Show “Nivea Viva Rock Brasil” será gratuito na Pituba

Seis décadas de rock brasileiro traduzidas em 35 músicas (incluindo um pot-pourri) interpretadas por Paralamas do Sucesso, Paula Toller, Nando Reis e Pitty e com uma banda base formada por Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), Liminha (Mutantes e diretor musical do espetáculo), Maurício Barros (Barão Vermelho), Milton Guedes e Rodrigo Suricato – eis as armas do show/turnê Nivea Viva Rock Brasil, cuja avant-première para convidados e imprensa aconteceu na casa Vivo Rio.

Com direção geral da baiana-carioca Monique Gardenberg (Dueto Produções) e duas horas e meia de música, o show pega a estrada em Porto Alegre, e passa  por outras seis capitais, sempre em grandes espaços públicos e de graça. Em Salvador, será dia 22 de maio, na Praça Wilson Lins, Pituba, às 17h.

RTEmagicC_Nivea.jpg

Unindo  quatro clássicos pioneiros de Celly Campelo e Roberto & Erasmos Carlos, Pitty, Paula Toller e Nando Reis abriram a noite com um pot-pourri e mostraram química no encontro de gerações. No decorrer do show, cada artista comentou a importância de integrar a história do rock nacional e, também, a relevância da turnê patrocinada pela Nivea.

Paula Toller, por exemplo, lembrou a peculiaridade de ser a voz feminina de sucesso, através do Kid Abelha, na geração anos 80 do BRock, e que várias das suas canções da época seguem seduzindo gerações.

Banda instrumentalmente mais consistente surgida na década de 80, Paralamas toca os hits próprios Óculos e Meu Erro e dividem Sonífera Ilha e Marvin (Titãs), com Nando Reis, e Tempo Perdido e Será (Legião), com Dado Villa-Lobos.

Solo, Pitty interpreta Panis et Circenses (Mutantes), Fullgás (Marina Lima), Praieira (Chico Science & Nação Zumbi) e, claro, a sua Me Adora. Na música dos Mutantes, a cantora baiana não brilhou, mas depois, aquecida, dominou o palco com segurança e carisma.

Já Nando teve seus melhores momentos em Gita e O Segundo Sol, com imagens de Raul Seixas e Cássia Eller, respectivamente, projetadas de modo pop em painéis de LED.

De modo geral, o show é bom e funciona para grandes multidões. Mas, ainda que seja difícil sintetizar a história do rock nacional em 35 números, o repertório comete o pecado de não incluir nada dos Secos & Molhados (1973), a banda mais original e transgressora surgida no país.


Fonte: Correio

Bahia registra 1.581 novos casos de Covid-19 e mais 95 óbitos pela doença

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.581 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,2%) e 2.010 recuperados (+0,2%). O boletim epidemiológico desta segunda-feira (12)...

Traficante matou esposa com tiro pelas costas em Águas Claras e no mesmo dia atacou rivais

A jovem de 23 anos, Mayara Soares dos Santos, que morreu na madrugada de domingo (11/04), no Hospital Eládio Lasserre, foi atingida com um tiro pelas costas....

Aplicativo Preço da Hora Bahia completa um ano com 430 mil usuários

Lançado em abril de 2020 pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Fazenda (Sefaz-Ba), o aplicativo Preço da Hora Bahia completou um ano de funcionamento...

Vacinação contra Covid-19 segue apenas com segunda dose nesta terça (13)

A vacinação contra a Covid-19 segue em Salvador apenas com aplicação da segunda dose para idosos e trabalhadores da saúde, nesta terça-feira (13). A estratégia acontecerá das...