Morte de Agnes Tirop: marido se declara inocente

Ibrahim Rotich, que era marido da corredora queniana Agnes Tirop, declarou que não matou a recordista mundial dos 10 quilômetros, em um tribunal do país africano, nesta terça-feira (16/11). A advogada do marido da atleta, o principal suspeito do crime, ainda revelou que entrará com um pedido de liberdade sob fiança.

Rotich apareceu no tribunal queniano algemado, vestindo uma jaqueta preta e um boné. O réu ficou olhando para o chão durante a maior parte do processo. Tirop foi achada morta após golpes de faca em sua residência, na cidade de Iten, em Rift Valley, no dia 13 de outubro. E o marido teria deixado um bilhete no local confessando o crime.

A polícia queniana prendeu Rotich um dia depois de encontrar o corpo da recordista mundial, na cidade costeira de Mombasa, ainda no Quênia. O marido estaria fugindo, de acordo com as autoridades, e não resistiu à prisão.

Rotich, de 41 anos, recebeu ordens para se submeter a um teste de saúde mental há alguns dias, antes de a advogada entrar com a ação judicial. Joseline Mitei, contudo, se recusou a discutir os detalhes dos resultados da avaliação.

“Pretendo entrar com um pedido formal no tribunal para que meu cliente seja libertado sob fiança”, limitou-se a dizer, Mitei. A audiência de fiança está marcada para o dia 1° de dezembro.

Últimas Noticias