Em encontro com ACM Neto, Sandro Bahiense e Sindpoc apresentam propostas para segurança pública

O vereador Sandro Bahiense, representantes do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc) e as lideranças políticas da cidade de Itacaré, Luizão Quadros e Júnior de Manduca, se reuniram na sexta-feira (10/12) com o pré-candidato ao Governo da Bahia, ACM Neto, em Salvador.

O objetivo do encontro foi discutir e apresentar propostas para a área de segurança pública, que vem apresentando índices insatisfatórios.

O vereador destacou a legitimidade das pautas defendidas pelo Movimento Juntos Somos + Fortes em prol da valorização salarial e sinalizou alguns caminhos que podem ser adotados para melhorar a segurança no estado. Ele destacou a falta de políticas públicas nas comunidades como um fator preponderante para o aumento da violência.

Bahiense pontuou alguma medidas emergenciais, como por exemplo, “separar pessoas presas por crimes hediondos de outras que cumprem pena por situações de menor poder ofensivo”.

“Quando você coloca juntos um suspeito de homicídio ou assalto a banco, com uma pessoa que cometeu um crime de furto, por exemplo, você comete um desserviço. A pessoa que cometeu o crime de menor poder ofensivo pode virar um assaltante de banco”, afirma.

“Outro detalhe importante, é preciso investir na juventude, dar exemplos bons, proporcionar experiências que incentivem positivamente essa garotada. Se a gente não abraça essa garotada, o crime pode abraçar. E aí a situação piora. Não é um trabalho de curto prazo, é de médio e longo prazo”, acrescenta.

O presidente do Sindpoc, Eustácio Lopes, falou sobre a situação deficitária a nível estrutural e humano que se encontra a Polícia Civil. Segundo ele, “a instituição está ausente em mais de 100 municípios baianos e isso contribui para que quadrilhas que agem contra instituições financeiras prosperem em nosso estado”.

Ainda segundo Estácio, a “política equivocada implantada pelo ex-secretário de Segurança Pública, que retirou muitos policiais dos bairros e relocou para departamentos, visando combater apenas crimes de colarinho branco, fez aumentar a sensação de insegurança nas periferias”.

Outras lideranças do movimento apresentaram propostas, dentre elas Carla Souza (vice-presidente do SINDPOC), Denílson Neves (Diretor da UNIPOL), Luís Vilson (Diretor do SINDPEP) e Luiz Carlos (Diretor da AEPEB).

Por fim o pré-candidato ACM Neto ratificou que tem percorrido diversas cidades do estado e a segurança pública é a pauta que mais preocupa no momento. “Os números estão aí, são públicos, conhecidos, mas para além dos números vai o que a gente enxerga, vive e sente no dia a dia”, disse Neto.

Segundo Neto, a primeira mudança que precisa acontecer na segurança pública é o comprometimento pessoal do governador. “Eu sou do tipo de pessoa que tenho a honestidade de reconhecer que existem aspectos positivos no estado nestes últimos 15 anos, mas nas questões fundamentais a Bahia não avançou, dentre elas a segurança pública. Ao longo dessas 4 gestões, os governadores que sucederam literalmente tiraram o braço da seringa”, concluiu Neto.

Últimas Noticias

Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira prêmio acumulado em R$ 31 milhões

A Mega-Sena sorteia nesta quinta-feira (27) um prêmio acumulado em R$ 31 milhões. As seis dezenas do concurso 2.448 serão...