Gratidão e união marcam celebração de Natal da Cidade da Luz

Com sentimentos de gratidão e alegria, cerca de 500 pessoas assistidas pela Cidade da Luz comemoraram o Natal, na manhã e tarde do dia 24 de dezembro, na sede da instituição, no bairro de Pituaçu, em Salvador. Todos os cuidados foram tomados para preservar a saúde dos participantes da festa em razão da pandemia. Por isso, não foram montadas as tradicionais mesas para que todos pudessem degustar o almoço natalino juntos, como acontece todos os anos. A dinâmica aconteceu na modalidade passante, com os convidados recebidos ao som de música ambiente, pelos voluntários da casa.

A ceia natalina (massa penne com molho de tomate, frango, milho e cenoura) foi entregue em marmitas térmicas para consumo em casa, na quantidade correspondente ao número de membros da família. Os participantes eram famílias vinculadas ao MORHAN (Movimento de Reintegração de Pessoas Atingidas pela Hanseníase), APALBA (Associação de Portadores de Albinismo da Bahia) e moradores da comunidade de Santa Luzia do Pilar, totalizando 200 famílias, que somam 500 pessoas, com 120 crianças e adolescentes. Durante a confraternização, também foram oferecidos água, suco, guloseimas para crianças e o já tradicional cremosão gelado.

Multiplicando esforços

A conselheira da Cidade da Luz, Rosângela Teixeira, que é voluntária da casa há mais de 40 anos, ressaltou a importância de atender pessoas que, muitas vezes, são privadas do básico.

“Sair do nosso mundo para acolher o próximo. Neste período pandêmico, nós não paramos um só instante. Multiplicamos esforços para atender pessoas em situação de rua e as comunidades que já são assistidas pela instituição, em suas necessidades emocionais, espirituais e materiais,” complementou.

Rosângela citou o serviço itinerante prestado pelo Busão da Solidariedade, que percorre as ruas da cidade nas noites de quarta-feira, para oferecer banho, muda de roupa, alimentos, corte de cabelo e barba. A cada noite, o Busão tem ofertado mais de cem banhos.

Voluntária há mais de 30 anos, Luzia Santos, se emocionou ao falar sobre o significado de trabalhar em ações sociais. “A sensação é de paz, de dever cumprido, de gratidão à vida, à Cidade da Luz e a José Medrado, fundador desta casa”, conta Luzia.

Moradora de Santa Luzia do Pilar, Jessica Santos, 30 anos, conta que começou a ser assistida pela Cidade da Luz quando ainda tinha 6 anos de idade. “Durante toda a vida, venho recebendo cuidados médicos, cesta básica, acolhimento. Esta casa ampara a todos, sem distinção de classe social, cor, origem. Meu sentimento é de alegria e gratidão”, revela.

Portadora de albinismo, Anete Maria de Matos, conta que não tinha nada para comer na noite de Natal. “Graças a esta casa, posso levar quentinhas para minha família para a ceia de hoje. Aqui não sou discriminada. Sou tratada com carinho”, conta Anete.

A aposentada Nemar Ferreira de Jesus, integrante do MORHAN, também demonstrou gratidão pela oportunidade de participar da festa, que ela frequenta todos os anos. “É uma grande ajuda para quem nada tem. Fui criada em orfanato e enfrentei muita dificuldade”, conta. Dona Nemar tem um filho e três netos. O Natal da Solidariedade da Cidade da Luz foi possível graças às doações de alimentos, brinquedos, produtos de higiene e panetones, feitas pela comunidade.

Últimas Noticias

Vasco e Sport empatam em Maracanã lotado

O Vasco empatou sem gols com o Sport, na tarde deste domingo (3) no estádio do Maracanã, pela 16ª...