Depósito da Preta: estabelecimento que é exemplo de representatividade nasceu em dia potente e completa 1 ano

Por Ramon Margiolle/Editor e repórter do Informe Baiano

Sábado, aniversário de nascimento de Martin Luther King, fui convidado para conhecer um estabelecimento que, segundo a pessoa que havia sugerido a pauta, minha colega de profissão e de faculdade, Maísa Amaral, era um exemplo de representatividade.

Pois bem. Já estava tudo certo para ir lá em Itapuã com meu irmão Carlos Júnior, mas o cidadão vacilou e pegou a Covid-19. A alternativa foi chamar meu pai, ‘Seu Carlos’, que aceitou sem titubear. Claro, e tomar umas duas geladas que ninguém é de ferro.

O repórter e painho Carlos

Chegamos na Rua Nossa Senhora da Vitória sem nenhuma dificuldade. Basta escrever no Google ‘Depósito da Preta’, que o GPS vai lhe levar até a travessa que fica ao lado da Avenida Dorival Caymmi. E na rua, a galera aponta logo o caminho das pedras. Na frente do estabelecimento, fomos recebidos por um negão simpático e com sorriso largo no rosto. Me disse que Tamires estava lá em cima com Jonatã arrumando as coisas.

Seu Jailson

“Espera aí que ela já vem”, soltou o ‘Coroa’ que mais tarde eu descobri que era Jailson Martinho, pai da dona da porra toda.

Pouco tempo depois, outra pessoa chegou e me levou lá em cima no Espaço Vip do estabelecimento. Pense num local agradável… Até arquiteta, coisa que antes a gente não podia contratar, teve. O lugar ficou um brinco, tudo no seu devido lugar. As cores escolhidas também são um capítulo à parte: ouro, marrom e preto. Amei também uns detalhes nas paredes com homenagens aos blocos afros e frases que trazem recados imprescindíveis no combate ao medo que muitas pessoas sentem: “Que todo preconceito vire chuva” e “Aqui somos todos iguais”.

Nossos ancestrais, nossos pais e avós, amigos nossos, também tiveram um lugar de destaque. Os proprietários prepararam uma parede com quadros que trazem figuras importantíssimas para os movimentos contra as injustiças, os direitos civis e as desigualdades. Salve Mandela, Marielle presente, viva a Zumbi dos Palmares, valeu Dona Olívia Santana e um beijo para a toda boa Tia Má. Tem ainda outras pessoas massas, como Alaide do Feijão, maior referência, inspiração e avó de Tamires Santos, 30 anos. A jovem empreendedora é graduanda em psicologia, consumidora nata de cervejas e idealizadora do projeto, que completa seu primeiro ano.

Tamires e sua avó Alaíde entre marcas de blocos afros

“A data, 15 de Janeiro, foi uma mera coincidência, mas é também uma reafirmação da nossa representatividade ancestral. O Depósito da Preta surge em uma data potente, de muita força e muita resistência. Tudo isso durante a pandemia. A gente sabia que iria encontrar alguns desafios, mas estamos nos mantendo firmes com a ideologia que o Depósito carrega. O Depósito é muito além da comercialização de bebidas”, disse a empreendedora ao lembrar também que “precisamos nos fortalecer”.

A empresa tem quatro linhas de atuação: retirada na loja, delivery, consumo no local e o Depósito Itinerante, que realiza feiras expositoras, aniversários, eventos, marchas e rolês aleatórios.

A cozinha comandada por Dona Valdirene da Conceição, que é mãe de Tamires, tem diversas opções: moela, passarinha, carne de sol, carne de fumeiro, espetinhos, bolinhos, caldos de sururu e verde, além dos combos que trazem cerveja e petiscos. Para completar a festa, o final de semana é covardia. Tem Mocofato e Feijoada de verdade. As entregas acontecem em qualquer lugar da capital.

“Hoje temos muitos clientes que moram mais distantes, mas compram com a gente pela representatividade. Eu tenho clientes no Rio Vermelho, no Cabula e em toda Salvador. E quem faz o delivery aqui é uma mulher, mas tem também os aplicativos que fazem parcerias”, contou Tamires.

O casal Tamires e Jonatã

Jonatã Ribeiro, 31, parceiro e marido de Tamires, destacou que “todas as decisões do casal são tomadas em conjunto”. “É a realização de um sonho ser dono do próprio negócio. Afinal, a construção não é individual, é coletiva. A gente precisa de oportunidades”, reafirma o homem que trabalha também como técnico de elevadores.

O Depósito da Preta fica localizado em Itapuã, na Rua Nossa Senhora da Vitória , nº 17. Qualquer dúvida tem o Instagram @deposito.dapreta e o WhatsApp (71) 98426 8688. Ah, não deixe de experimentar a moela, que é top.

Últimas Noticias

Justiça nega pedido e mantém julgamento de Flordelis

A Justiça carioca negou hoje (20) o pedido da defesa da ex-deputada federal Flordelis dos Santos de Souza para...