ACM Neto critica sistema de regulação implementado na Bahia

Em visita a algumas cidades da região norte da Chapada Diamantina, o pré-candidato ao governo ACM Neto (Democratas/União Brasil) criticou nesta quinta-feira (27) o sistema de regulação da saúde pública. Ele lembrou que viveu o pior ano da pandemia causada pela Covid-19 como prefeito de Salvador, quando o sistema de saúde da capital baiana quase colapsou pela falta de leitos de UTI no interior do estado.

“Como prefeito de Salvador, enfrentei o primeiro ano de pandemia e vi de perto o drama dessa rede de atendimento insuficiente do interior. Muitos pacientes que demandaram leitos de UTI precisaram de transferência para a capital“, destacou durante coletiva de imprensa realizada em Jacobina.

“Sabemos que a regulação é um problema em muitos lugares da Bahia. É a fila de espera que demora até um ano, a falta de insumos e leitos para tratamento intensivo, equipamentos para exames de média e alta complexidade”, acrescentou.

ACM Neto ponderou que, apesar da queda no número dos quadros críticos causados pela Covid-19 após a aplicação da vacina, a partir de agora o sistema de saúde volta a atender pacientes com doenças ou complicações que não puderam ser tratadas pela complexidade da pandemia. “Vamos ter uma demanda crescente. Esse drama com a regulação precisa ser enfrentado”, ressaltou.

Entre cidades visitadas por ACM Neto estão Quixabeira, Várzea do Poço, Serrolândia e Várzea Nova, além de Jacobina.

Últimas Noticias

Ministério da Economia mantém previsão do PIB em 1,5%

O governo federal alterou para cima a previsão da inflação deste ano. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo...