Apresentações e homenagens marcam a comemoração dos 11 anos da Base Comunitária de Segurança do Calabar

Na manhã desta sexta-feira (29), a Base Comunitária de Segurança do Calabar (BCS), em Salvador, comemorou 11 anos de atividade. Para marcar essa data, a unidade fez um evento na quadra poliesportiva, com a participação da comunidade, apresentações dos jovens atendidos pelos projetos sociais ofertados pela BCS. Foram ainda homenageados, policiais militares, parceiros, professores e líderes comunitários envolvidos com as atividades.

O Comandante-Geral da PM-BA, Coronel Paulo Coutinho, destaca a cooperação da comunidade e a BCS como fator principal do êxito, uma vez que existe aplicação de políticas públicas de segurança e sociais. “Isso é um projeto do Estado que vem dando muito certo, por incluir os jovens das comunidades e aqui, no Calabar, temos muito sucesso na prevenção da violência e criminalidade. Então, é um case de sucesso que nós temos que manter”, destacou.

A Capitã Aline Muniz, Comandante da BCS Calabar, ressalta as conquistas da unidade, que desde a sua implementação, em 2011, reduziu em 90% o índice de homicídio nas comunidades do Calabar e do Alto das Pombas. “Além da redução, a gente conseguiu efetivamente conquistar essa aproximação da polícia com a comunidade, através da parceria com professores, em sua maioria, civis, que são os verdadeiros referenciais para essas crianças”, acrescentou a comandante.

Resultados positivos

As ações transformam positivamente a comunidade e proporcionam uma melhora da qualidade de vida e inclusão social, sendo também uma porta de entrada para o mercado de trabalho. “A Base Comunitária investe nas crianças, através dos projetos e ações sociais, preparando-as para a vida. Após 11 anos, a gente tem resultados significativos, porque os jovens de hoje tiveram a oportunidade de se capacitarem e se qualificarem, então, é um trabalho feito lá atrás para colher os resultados hoje”, completou a Comandante Aline Muniz.

Já Aline Silva, moradora do bairro, foi aluna das primeiras iniciativas da unidade e atualmente é técnica de enfermagem. “A Base está agregando muitos a jovens que não tinham condições de pagar cursos, não tinham opções e hoje o jovem tem a vantagem que o projeto proporciona, e tudo gratuito”, pontuou.

Dia de celebrar

Participaram das apresentações cultuais e esportivas os atuais alunos das oficinas de ballet, judô, jiu-jitsu, passarela, boxe e futsal, que puderam expor o aprendizado que vem adquirindo.

Luane Santana, 16, faz aulas de modelagem e passarela, e conta que sempre teve vontade de ser modelo, sonho alimentado por sua mãe. “Literalmente pedi pra ela entrar nesse projeto. As aulas são incríveis, pude aprender como desfilar. Além de ter o ensinamento, poder ajudar as pessoas e ter o conhecimento da segurança, acho muito gratificante”.

Em 11 anos, a primeira Base Comunitária de Segurança da capital já atendeu mais de 3.900 alunos. Atualmente, são ofertados 13 projetos sociais, a exemplo de judô, karatê, jiu-jitsu, capoeira, boxe, dança, curso de passarela (modelo), ballet, bombeiro civil mirim. Ainda é possível participar do Viver Melhor, que empresta de carrinhos de lanche a empreendedores. Na área da saúde, são ofertadas sessões de fisioterapia e psicoterapia para mulheres vítimas de violência doméstica.

Os interessados em participar dos projetos, devem comparecer na própria BCS e preenchendo uma ficha de inscrição. Menores de idade precisam ir acompanhados dos pais ou responsáveis. As aulas acontecem de segunda a domingo em diversas modalidades. O trabalho da BCS pode ser acompanhado pelo perfil no Instagram, que também recebe dúvidas sobre as aulas.

Últimas Noticias

Mortes, confrontos entre facções e ameaça de toque de recolher em São Marcos

A localidade conhecida como Coroado, no bairro de São Marcos, registrou pelo menos três mortes entre quinta-feira e hoje...