No Ministério da Mulher, Kátia Oliveira apresenta proposta para criação de auxílio para vítimas de violência doméstica

A deputada estadual Kátia Oliveira (União Brasil) apresentou no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, durante agenda em Brasília, uma proposta de sua autoria para criar a Bolsa Social Maria da Penha. O projeto visa a implantação de um auxílio financeiro para mulheres em situação de vulnerabilidade social, que estejam ameaçadas ou tenham sido vítimas de violência doméstica e familiar. Essa indicação foi apresentada na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) no ano passado.

No Ministério da Mulher, ela esteve acompanhada das secretárias de Simões Filho Andrea Almeida (Políticas Públicas e Promoção à Mulher), Lais Matos (Administração) e Mariza Bomfim (Educação). A Secretária de Desenvolvimento Social e Cidadania do Município de Simões Filho, Andreia Pereira, também acompanhou a agenda da deputada em Brasília.

Kátia Oliveira discutiu questões relacionadas ao direito das mulheres e pediu ao Ministério a análise de sua proposta para a criação da bolsa. “Solicitei a análise desta ideia e sua inclusão na Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, garantindo que as mulheres brasileiras e baianas sejam respeitadas e tenham o seu direito à vida protegido, com o devido apoio do Estado para reconstruir sua trajetória”, destacou.

Ainda em Brasília, a parlamentar também teve agenda no Ministério da Cidadania, onde ela articulou projetos e parcerias para municípios da Bahia. Segundo ela, a ideia é construir uma pauta de parcerias para a área social, com maior apoio financeiro e operacional do Governo Federal, permitindo melhor acolhimento das pessoas em situações de vulnerabilidade econômica e social. “Essa união de esforços permitirá a ampliação da rede socioassistencial nos municípios baianos, garantindo direitos básicos à população que mais precisa”, afirmou a deputada.

A reunião ocorreu com técnicos do Ministério da Cidadania. No encontro, Kátia Oliveira destacou a necessidade de investimentos federais na ampliação dos equipamentos ligados ao Sistema Único da Assistência Social (SUAS), com a construção de novos CRAS e CREAS em parcerias com os Municípios.

Além disso, a deputada solicitou novas iniciativas e editais nos programas voltados ao empreendedorismo e qualificação profissional, permitindo novas oportunidades de geração de renda para as famílias mais carentes, garantindo dignidade e solidariedade social num contexto pós-pandemia.

A parlamentar pediu engajamento do governo sobre a proposta legislativa (PL 41/2021) que estabelece o piso salarial nacional para as Assistentes Sociais e demais profissionais do SUAS, garantindo evolução profissional e remuneração justa. Ela ainda defendeu a aprovação da PEC 383/2017, que assegura 1% da Receita Corrente Líquida, no mínimo, para o financiamento das ações do SUAS.

Últimas Noticias

Ver menos televisão pode reduzir risco de doenças cardíacas coronárias

Mais de um em cada 10 casos de doenças cardíacas coronárias poderiam ser evitados se as pessoas reduzissem o...