Motivos para incluir maracujá na sua alimentação (e uma receita saborosa)

É produzida pelas plantas do gênero, Passiflora, nomeadamente Passiflora edulis e proveniente da região tropical da América, mais especificamente no Brasil, Argentina e Paraguai. Também está amplamente distribuída na Índia, China e Sudeste Asiático. Tem o nome comum de flor da paixão.

As espécies de Passiflora têm um ligeiro efeito calmante e antidepressivo devido à presença de alguns alcaloides e flavonoides, depressores do sistema nervoso central, e têm sido usadas como fármacos fitoterápicos desde os tempos antigos, podendo ser consumidos por orientação médica.

O maracujá tem cerca de cinco a sete centímetros de diâmetro, podendo o seu peso variar de 30 a 45 gramas (g) na variedade roxa e 60 a 90 g na variedade amarela. 53% do seu peso corresponde à casca, 33% à polpa e 14% às sementes.

É uma fruta atraente, cativante e muito versátil, utilizada para consumir em cru, para transformação em sumos, concentrados, licores e doces. 100 g de maracujá têm 52 calorias, quase 75% de água e 5,7 g de hidratos de carbono, segundo a Tabela de Alimentos Portuguesa, e, uma porção de maracujás corresponde a 140 g.

É rica em vitamina C, sendo que uma porção corresponde a praticamente metade das necessidades em vitamina C, um poderoso antioxidante, e um dos fatores protetores no desenvolvimento de vários tumores.

Também traz imensos benefícios para a saúde ocular e pele, uma vez que é rica em carotenos. No que diz respeito aos minerais, tem uma quantidade significativa de magnésio e potássio.

Tem também uma quantidade considerável de fibra (3,3 g por 100 g) a pectina, fibra solúvel, tendo um papel preponderante no controlo da saciedade, na regulação do trânsito intestinal e controle da glicemia.

A Organização Mundial de Saúde recomenda, no mínimo, a ingestão de 400 g de frutas e hortícolas frescos, diariamente. Podemos e devemos incluir esta fruta tão deliciosa e nutritiva no nosso dia alimentar desde o café da manhã às refeições principais ou sobremesa.

É de extrema importância valorizar a sazonalidade da fruta, ou seja, optar pela ‘fruta da época’, sendo assim mais nutritiva e saborosa. Além disso torna-se também mais econômica e contribui para um menor impacto ambiental. O maracujá é ‘fruta da época’ nos meses de julho a setembro.

E como perceber se o maracujá está maduro?

.A casca deve ser firme e ligeiramente enrugada;
.Deve ser ‘pesado’ para o seu tamanho;
.A casca não deve estar demasiado lisa e dura ou muito enrugada (devido ao risco da polpa estar seca).
Deve ser evitado o armazenamento do maracujá na geladeira, uma vez que amadurece à temperatura ambiente, exceto se houver preferência em consumir num período mais longo, neste caso, deve ser armazenada na prateleira inferior da geladeira.

Uma vez que o maracujá é uma “fruta de verão” sabe muito bem consumir com outros alimentos também frescos!

Uma sugestão fresca e saborosa:

Colocar numa tigela um iogurte natural e como ‘topping’ a polpa de três maracujás. ‘Polvilhar’ com um punhado de oleaginosas e desfrutar de um lanche nutritivo!

Últimas Noticias

Diante do Atlético-GO, São Paulo volta a vencer no Brasileiro

O São Paulo retomou o caminho das vitórias no Campeonato Brasileiro, ao derrotar o Atlético-GO por 2 a 1,...