Exemplo de imagem responsiva Prefeitura de Salvador
Informe Baiano
Exemplo de imagem responsiva Prefeitura de Salvador

Conheça sintomas físicos e psicológicos do estresse

A frase “ eu ando muito estressado” já virou quase um bordão do brasileiro, e não é à toa. Com o trânsito cada vez mais caótico, a violência que assola as cidades, o desemprego, a crise política, entre outros fatores, somatizam a carga de preocupações, ansiedades e incertezas. Mas como saber se realmente está sofrendo um quadro de estresse?

A psicóloga Miriam Pontes de Farias que é pós- graduada em hipnose clínica e acupuntura, esclarece que nem sempre essas pessoas realmente desenvolveram um quadro de stress grave, mas se não tratarem, o que no primeiro momento são apenas sinais de estresse e cansaço, pode com o passar do tempo vivenciando estas situações intensamente e continuamente, desenvolver doenças sérias e perigosas à saúde.

Sintomas psicológicos de estresse:

Ansiedade, angústia, nervosismo, preocupação em excesso.

Irritação, medo, impaciência.

Problemas de concentração e de memória.

Desorganização, dificuldade em tomar decisões.

Cometer mais erros que o habitual, esquecimentos.

Sensação de perda do controle.

Sintomas físicos do estresse:

Problemas cardíacos e gastrointestinais.

Facilidade em ficar doente.

Alergias, asma, insônia.

Tensão muscular, mãos frias e suadas.

Dor de cabeça ou enxaqueca, problemas de pele.

Queda de cabelo anormal.

“O estresse altera e modifica o ritmo natural da pessoa, a hipnose e a acupuntura são terapias focais contra os sinais da doença” afirma a especialista. “A prática de hipnose atua no sistema nervoso parassimpático, ela regula e equilibra o ritmo natural da pessoa, levando ao paciente ao equilíbrio e tranquilidade . No estado hipnótico a pessoa produz substâncias do prazer, que aumenta a produção de serotonina e endorfina” explica.

A psicóloga revela que o uso da hipnose na psicologia é muito abrangente e atua na luta a diversos males como: tabagismo, fobias, síndrome do pânico, depressão, ansiedade, problemas sexuais, problemas de fala, dores crônicas, tíques, baixa autoestima, obesidade, além do estresse. Até mesmo ajuda e melhora a concentração ou mesmo a memória para aplicar no trabalho e estudos. Segundo a especialista, quando a pessoa está hipnotizada ela não perde a sua capacidade de raciocinar. Pelo contrário. Ela consegue resolver problemas complexos, fazer improvisos e ainda manter uma capacidade crítica sobre o que lhe está sendo sugerido.

10 sugestões para combater o estresse:

1 – Procure identificar o que te faz bem, o que promove prazer e pratique.

2 – Realize atividade física que goste mais, para que este momento seja agradável.

3 – Busque ter contato com a natureza, pode ser uma praia, montanha, Cachoeira, floresta. Enfim, a natureza é um lugar de muito equilíbrio, faz bem para o corpo e para mente.

4 – Quando tirar férias procure sair da rotina, se possível faça uma viagem, viajar é uma experiência muito rica.

5 – Crie laços com pessoas amáveis, flexíveis e solidárias, estas características são contagiantes, aproveite para exercer o seu lado fraterno.

6 – Desenvolva a capacidade de adaptação, nas situações de estresse ficamos muito irritados, comece a fazer coisas diferentes para você se sentir melhor.

7 – Cuide de suas emoções, procure ajuda profissional de um psicólogo que faça hipnose. Existem varias técnicas de hipnose para controlar o estresse.

8 – Seja amável, gentil e paciente com você, valorize o que você tem de melhor e agradeça por tudo, até mesmo pelas coisas mais simples da vida.

9 – Procure viver o agora, a maioria dos sofrimentos humanos acontecem porque focamos no passado ou no futuro e esquecemos do mais importante: O AGORA. Lembre-se: a vida acontece AGORA, viva o AGORA plenamente.

10 – Precisamos compreender e aceitar que muitas coisas que acontecem conosco, não dependem de nós, não podemos controlar a vida, ela flui naturalmente, vamos ter sabedoria para entender este processo da vida.

Fundação Jose Silveira
Prefeitura de Juazeiro

Populações periféricas são mais vulneráveis à dengue

"O meu homem-aranha está amuado, tristinho. É tão estranho”. A auxiliar de serviços gerais Juliana Pereira, de 28 anos...