Prefeitura Municipal de Savaldor

Semop alerta para uso de garrafas de vidro em festas populares e faz apelo por conscientização

Fotos: Divulgação

O secretário de Ordem Pública de Salvador, Luciano Ribeiro, destacou a grande quantidade de objetos perfurocortantes, como garrafas de vidro, encontrados em ações de fiscalização da pasta em festejos pré-Carnaval. Durante o movimento dos Palhaços do Rio Vermelho, no último final de semana, por exemplo, diversos problemas com objetos perfurocortantes foram identificados pela Semop.

“Estamos fazendo um apelo à imprensa de forma geral para que nos ajude na conscientização. O número que a gente tem visto e apreendido de objetos como garrafas de vidro nessas festas é muito grande, então é preciso que todos nos unamos para poder evitar isso. A secretaria reforçou a sua equipe de fiscais para que a gente possa contribuir com isso”, disse o secretário.

Durante atuação no Rio Vermelho, agentes da Semop identificaram um grande volume de garrafas de vidro ao longo do local da festa, inclusive muitos destes objetos quebrados, o que pode causar acidentes e risco para a vida das pessoas. A pasta também registrou acidentes ocorridos com pessoas que participaram da festa por conta das garrafas.

A Semop tem alertado para a conscientização do uso e da comercialização destes objetos. O diretor de serviços públicos da Semop, Alysson Carvalho, ressaltou que a pasta fiscaliza para informar sobre a proibição da venda deste tipo de material e também reprimir a entrada de garrafas no percurso. Ele pontua também que os vendedores ambulantes são orientados sobre a não possibilidade da venda deste tipo de produto.

“Uma garrafa de vidro por si só já é insegura dentro de uma casa, imagina milhares delas espalhadas numa festa popular, acreditamos ser sinônimo de tragédias anunciadas. Neste caso específico existem três pessoas que podem fazer a diferença neste processo: a fiscalização, o ambulante e o consumidor”, afirmou o diretor.

Riscos – Alysson Carvalho frisou também que é importante que os foliões se conscientizem sobre a compra e descarte de garrafas de vidro. “A alegria não pode acabar após o consumo daquilo que está dentro de uma garrafa de vidro, ela precisa estar, sobretudo, na consciência de termos contribuído para que todos tenham direito de feliz estar, feliz permanecer, para felizes voltarmos numa próxima oportunidade”, afirmou.

“Se nós não unirmos forças para evitar esse tipo de situação, estaremos diante a tragédias já devidamente anunciadas. Não cabe nem nunca caberá a responsabilidade apenas a uma pessoa específica. Esse papel de cuidado precisa partir de todos, pois só assim teremos condições de melhorar e garantir a segurança e o conforto de todos”, alertou Carvalho.

Fundação Jose Silveira
Prefeitura Municipal de Savaldor

Júnior Muniz é reconduzido à presidência da Comissão de Defesa do Consumidor na AL-BA

O deputado estadual Júnior Muniz (PT) foi reconduzido, nesta terça-feira (27), à presidência da Comissão de Defesa do Consumidor...