Exemplo de imagem responsivaGoverno do Estado da Bahia
Informe Baiano
Exemplo de imagem responsivaGoverno do Estado da Bahia

Porto Seguro: prefeito Jânio Natal reforça trabalho psicossocial com alunos e pede atenção redobrada dos pais e professores

Com o propósito de discutir a questão da segurança nas escolas e também para tranquilizar a sociedade, após reiterados ataques a escolas e creches no país, amplamente divulgados nos meios de comunicação, foi realizada uma reunião para debater o assunto, no Porto Seguro Eco Bahia Hotel, situado na Cidade Histórica, no dia 17/04.

Participaram do evento o prefeito Jânio Natal, o vice-prefeito Paulinho Toa Toa, a secretária municipal de Educação Dilza Reis, o comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar tenente-coronel Alexandre Lima Neto, e o secretário da pasta de Trânsito, Transporte Segurança e Defesa Civil tenente-coronel Valter Serpa.

O prefeito parabenizou a Polícia Militar pelo trabalho de ronda nas escolas e destacou que, infelizmente, a sociedade brasileira vem sendo surpreendida por incidentes lamentáveis, causando pânico nas famílias e profissionais de educação.

“Todos nos preocupamos com as vidas das nossas crianças, professores, funcionários. Estaremos empenhados para que não tenhamos essas notícias tristes nem nas nossas escolas, nem em lugar nenhum”, salientando que, tendo em vista a parte psicossocial, o município elevará o salário do médico psiquiatra dos atuais R$ 8 mil para R$ 12 mil.

“Aumentaremos o salário desse profissional dentro das nossas capacidades”, sugerindo aos profissionais de educação que fiquem atentos a possíveis casos de alunos que necessitem de um acompanhamento, junto com suas famílias, por profissionais especializados.

A secretária municipal de Educação enfatizou que a questão da segurança é algo que transcende a pauta do setor, mas que precisa ser enfrentado. “Precisamos saber qual caminho iremos seguir. Hoje, o primeiro assunto na agenda da educação no país é saber o que podemos fazer a favor da paz e em nome da vida”, frisando que os estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental necessitam de uma atenção especial nesse sentido.

Para o comandante do 8º BPM, a violência nas escolas não deve ser entendida como algo novo, mas como algo que sempre existiu e que faz parte da sociedade. “Fui surpreendido por alguns pais que estavam preocupados com a segurança de seus filhos nas escolas, devido ao caso de um indivíduo que matou as crianças na creche em Santa Catarina, mas aquilo foi um caso isolado”, ressaltando que foi intensificado o policiamento nas escolas e que os policias têm conversado com alunos e professores, visando acalmar a todos.

Fundação Jose Silveira
Prefeitura de Juazeiro

Censo busca traçar perfil de pessoas com transtorno do espectro autista em Salvador

Das 4.249 pessoas contabilizadas pelo Censo da Pessoa com Autismo no município de Salvador, 70% são meninos, a maioria...