Exemplo de imagem responsiva Prefeitura de Salvador
Informe Baiano
Exemplo de imagem responsiva Prefeitura de Salvador

DEDO NO ROSTO E PUXÃO DE CABELO: Candidata a Rainha do Carnaval desabafa após racismo e agressão

Na noite desta terça-feira (31/01), a candidata do Concurso Rainha do Carnaval de Salvador 2024, Andrezza Rodrigues, de 26 anos, foi vítima de racismo e ainda foi puxada pelo braço. O acusado é um homem de 70 anos de idade que seria médico e não teve o nome divulgado. A situação constrangedora ocorreu no fim do evento.

Em conversa com o Informe Baiano, a jovem estava muito abalada. “Eu fui agradecer as pessoas quando terminou o evento, e ele foi puxando meu braço, falou que eu não ganhei o concurso por causa do meu cabelo, que é muito feio.”.

“Aí já foi apontando o dedo na minha cara, puxando o meu cabelo, disse que meu cabelo é muito feio, foi horrível demais”, relatou.

A jovem registrou um Boletim de Ocorrência na 1ª Delegacia Territorial (DT/Barris). O Informe Baiano solicitou uma nota à Polícia Civil. “Um homem foi apresentado na Central de Flagrantes, por policiais militares, nesta quarta-feira (31) por uma denúncia de injúria racial. Conforme relatado na ocorrência, a vítima foi arrastada para fora do palco e discriminada por um homem”.

“Após ouvir testemunhas, não foram encontrados elementos suficientes pela autoridade policial para autuação em flagrante. Por esse motivo, foi instaurado um Inquérito Policial para o devido aprofundamento das apurações com o objetivo de esclarecer o caso”, finaliza a PC.

Legislação- Conforme a Lei 14.532/2023, que equipara a injúria racial ao crime de racismo, a pena tornou-se mais severa, com reclusão de dois a cinco anos, além de multa. Não cabe mais fiança e o crime é imprescritível.

Fundação Jose Silveira
Prefeitura Municipal de Savaldor

Populações periféricas são mais vulneráveis à dengue

"O meu homem-aranha está amuado, tristinho. É tão estranho”. A auxiliar de serviços gerais Juliana Pereira, de 28 anos...