Dólar dispara a R$ 3,66 e Bolsa despenca com anulação do rito de impeachment

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) passou a despencar 3,44%, abaixo dos 50 mil pontos, e o dólar dispara 4,67%, para R$ 3,669, pouco depois de o presidente interino da Câmara dos Deputados Waldir Maranhão (PP-MA) ter anulado a tramitação do impeachment no Congresso. As principais ações passaram a despencar com força, como o tombo de 10% da Petrobras.

As ações da Petrobras operavam em forte queda no início da tarde nesta segunda-feira (9). Por volta das 12h15, as ações ordinárias da petroleira (PETR3), com direito a voto em assembleia, caíam 9,9%, a R$ 11,65. As preferenciais (PETR4), com prioridade na destruição de dividendos, tinham queda de 10,62%, a R$ 9,01. O presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), assinou decisão hoje para anular a tramitação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no Congresso. Os papeis também eram influenciados pelo recuo dos preços do petróleo e por dados de queda na produção da empresa