Lucro do BNDES cresce 453% e chega a R$ 2,06 bilhões

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve lucro líquido de R$ 2,06 bilhões no primeiro trimestre de 2018. Em comparação com o mesmo trimestre de 2017, o resultado foi cinco vezes maior com crescimento de 453,4%. O avanço é resultado da reversão nas provisões para risco de crédito, o que resultou na redução da despesa dessa natureza em R$ 2,21 bilhões.

De acordo com o banco, o desempenho positivo com participações societárias no primeiro trimestre de 2018 refletiu o crescimento de R$ 322 milhões do resultado com derivativos embutidos em debêntures. Além disso, houve redução de R$ 301 milhões da despesa com provisão para perdas em investimentos (impairment).

Houve ainda crescimento de R$ 209 milhões do resultado com alienações de participações societárias, com destaque para a alienação de ações da Petrobras; e aumento de R$ 183 milhões na receita com dividendos e juros sobre capital próprio, em especial dividendos pagos pela Vale.

Já o Patrimônio Líquido do banco totalizou R$ 74,18 bilhões ao final do trimestre. O crescimento de R$ 11,35 bilhões (18,1%) reflete basicamente os efeitos da valorização da carteira de ações, líquida de tributos, de R$ 9,62 bilhões, e do lucro líquido de R$ 2,06 bilhões.