Embasa retira quase cinco quilômetros de rede de água clandestina no Stiep

Uma ligação clandestina de água com quase cinco quilômetros de extensão foi descoberta, hoje (18), na rua Arnaldo Lopes da Silva, no bairro do Stiep, em Salvador, durante mais uma ação de fiscalização da Embasa, com apoio da Polícia Militar. A tubulação implantada clandestinamente desviava água da rede distribuidora da Embasa para abastecer diversos lava a jato da região. Todo o material que compunha o ramal clandestino, como tubulações e mangueiras plásticas, foi retirado e encaminhado para reciclagem.

Além do prejuízo financeiro causado pelo furto da água, as ligações clandestinas prejudicam o abastecimento dos clientes regulares da Embasa e trazem riscos de contaminação, pela manipulação indevida das redes por pessoas não habilitadas. Os responsáveis pelos lava a jato abastecidos pela rede clandestina não foram encontrados no momento da operação.

Desde 2017, uma parceria de sucesso com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia já identificou mais de 180 irregularidades em imóveis residenciais e comerciais na Região Metropolitana de Salvador. Esses “gatos” desviaram cerca de 50 milhões de litros por ano, sendo que o débito com a Embasa chega a mais de R$ 3 milhões.

Qualquer intervenção no hidrômetro e na rede distribuidora de água com o intuito de furtar água é crime e o infrator está sujeito ao cumprimento das penalidades previstas no Artigo 155 do Código Penal Brasileiro, que qualifica a prática de furto de água como crime contra o patrimônio, sujeita a pena de reclusão além de multa.