Governo do Estado da Bahia

Até Prisco ficou animado com candidatura de Major Denice

Historicamente, o Partido dos Trabalhadores e a polícia nunca se cruzaram. Não havia afinidade nenhuma. São centenas, talvez milhares de confrontos, ocorridos ao longo da existência da sigla, fundada em 1980 por intelectuais e sindicalistas contrários à Ditadura Militar. Ou seja, a legenda comandada por Lula nasceu levando chicotada das Forças de Segurança. São diversos presos políticos e exilados. Mas o PT e o Brasil, juntos, venceram e superaram os “Anos de Chumbo”.

Lembro de 2001, ano de estreia da TV Bahia, do campo de batalha que tornou-se a Universidade Federal da Bahia, no bairro do Canela, onde figuras da Esquerda baiana respeitadas pediam a cassação do então senador Antônio Carlos Magalhães e foram reprimidas com extrema violência por 300 homens do Batalhão de Choque. Curioso, eu acompanhava o ato. Presenciei Moema Gramacho colocar o dedo na cara de um capitão do bigodão e levar porrada, além de gás de pimenta, naquele 16 de maio.

Mas essa triste realidade, graças a Deus e a habilidade política do governador Rui Costa, mudou. Hoje, o PT está protegido das porradas de antigamente. No próximo domingo, 2 de Fevereiro, Dia de Iemanjá, Salvador vai ter o nome certo, segundo o petista Josias Gomes, “para a estrela batalhadora brilhar”. Inclusive, o Pastor Sargento Isidório pode ser vice na chapa do PT, comandada pela também militar, Major Denice. Até o Soldado Prisco ficou animado. Doravante, o PT não vai ter mais medo da polícia.

Por Ramon Margiolle
Montagem com fotos do documentário Choque, de Carlos Araújo

Prefeitura Luis Eduardo Magalhães

Últimas Noticias

Bahia quer manter freguesia de décadas contra CRB

A última derrota do Tricolor para o time alagoano, foi em 2002, pelo placar de 3 a 1, pelo...