Bancários aprovam estado de greve e nova assembleia

Durante assembleia virtual, realizada na noite desta terça-feira (25/08), os bancários da base do Sindicato aprovaram o estado de greve. Também firmaram o entendimento de ampliar a mobilização para impedir retrocessos. A categoria, inclusive, apresentou diversas propostas de estratégias de enfrentamento aos bancos.

Durante a assembleia, que teve lotação esgotada da sala, foram passados todos os informes da negociação com a Fenaban, que propôs reajuste zero por dois anos. Para 2020, ofereceu abono de R$ 1.656,22, que seria pago em setembro, e de R$ 2.232,72, a ser creditado em agosto de 2021. As informações sobre as rodadas dos bancos públicos também foram repassadas para a categoria.

Os bancos também mantiveram a proposta de redução da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). O entendimento da categoria é de que não há justificativa para a atitude das empresas, uma vez que o setor bancário segue lucrativo e, mesmo sem precisar, recebeu ajuda do governo federal para enfrentar a pandemia.

Como o Comando Nacional dos Bancários rejeitou a proposta, uma nova rodada de negociação ocorre nesta quarta-feira (26/08), às 14h. Um dia depois, nesta quinta-feira (27/08), às 20h, o Sindicato realiza nova assembleia para discutir o que foi debatido na reunião e organizar a mobilização.

“Os bancos representam o setor mais lucrativo da economia nacional. Somente no 1o semestre do ano obtiveram lucros superiores a 24 bilhões de reais. Mesmo assim, insistem em retirar direitos dos bancários e desrespeitam a população. A nossa pauta contempla a defesa dos empregos, manutenção dos direitos, contra privatização dos bancos públicos e melhores condições de trabalho. Na quinta 20h teremos nova Assembleia para avaliar os resultados da negociação com a Fenaban marcada pra hoje. Esperamos que seja possível uma saída negociada, mas é inaceitável a intransigência dos bancos”, disse o baiano Augusto Vasconcelos, presidente licenciado do Sindicato dos Bancários da Bahia.

Últimas Noticias