Live Tour Salvador emociona ao relembrar trajetória de Santa Dulce

A história e a trajetória de uma das maiores personalidades brasileiras, cujo anúncio da canonização pelo Vaticano completou dois anos na quinta-feira (1º), presentes em peças artísticas, documentos, objetos pessoais e mensagens que marcaram a vida da religiosa baiana, nascida em Salvador. O passeio pelo universo de Santa Dulce dos Pobres foi o mote do quarto roteiro do Live Tour Salvador que, na sexta-feira de 2 de julho, Dia da Independência do Brasil na Bahia, aportou no Santuário Santa Dulce dos Pobres, na Cidade Baixa.

Na ocasião, o apresentador José Raimundo e Ronaldo Castro, monitor do Memorial Santa Dulce, mostraram ao vivo ao público momentos importantes da então freira, desde os locais que ela costumava frequentar para ajudar os pobres, como o antigo Alagados, a época do noviciado em Sergipe, os familiares e o galinheiro onde cuidava dos moradores em situação de rua e que, anos depois, cresceu e se transformou nas Obras Sociais Irmã Dulce (Osid), visitada até mesmo por santos como o papa João Paulo II e a madre Teresa de Calcutá.

A devota de Santo Antônio tinha preferência por objetos pessoais na cor azul e tinha o acordeon como uma das demonstrações de alegria e de educação musical de crianças. Um dos momentos marcantes relatados por Castro foi a emoção de um senhor, ao ver uma representação no Memorial do choque entre um ônibus e um bonde ocorrido na Cidade Baixa, em 1959. “Ao questionar a seu Antônio por que ele estava chorando, ele disse que lembrou quando foi salvo por Irmã Dulce nesse acidente.”

No quarto onde viveu até a morte, em 13 de março de 1992, impressiona a presença da roupa na qual Santa Dulce foi enterrada e que, ao ter os restos mortais transportados para o santuário, em 2010, ainda se mantinha intacta. Outro aspecto que chama a atenção é a poltrona onde passou a dormir desde 1956, cumprindo uma promessa pela recuperação da saúde da irmã, Dulcinha. Também foram relembrados os milagres que levaram Irmã Dulce à santificação, em outubro de 2019.

Já no Santuário, foi a vez de José Raimundo conversar com a guia Eli Libório, da Vivofap Tour. É na Capela das Relíquias que está o túmulo com os restos mortais de Santa Dulce e que possui uma representação da religiosa em tamanho original, feito em Nápoles, na Itália. “Quando as pessoas chegam aqui choram muito, principalmente aquelas que foram ajudadas pela santa e que começam a compartilhar suas vivências”, declarou Eli. A guia completou que o local, que recebia 8 mil pessoas por mês, saltou para 20 mil pessoas por mês.

Turismo religioso – Em seguida, foi a vez do âncora Pedro Velozo mostrar ambientes como o café e a loja Santa Dulce e conversar com o guia Val Novaes, da Adval Turismo. O profissional relatou que Salvador tem como um dos marcos do turismo religioso o Santuário de Santa Dulce dos Pobres. “Mas temos também outras igrejas, como a dos Alagados, da Conceição da Praia, do Bonfim e do Rosário dos Pretos. A capital baiana possui 372 igrejas, de acordo com a Arquidiocese de Salvador. E o turismo religioso não é apenas o católico – como descendentes de negros africanos que trouxeram o candomblé, a cidade possui mais de 1 mil terreiros das religiões de matriz africana”, completou Novaes.

O roteiro foi encerrado no fim do Caminho da Fé, que percorre o 1,1 quilômetro da Avenida Dendezeiros: a Colina Sagrada, que abriga a Basílica do Nosso Senhor do Bonfim. Na ocasião, o padre Manoel Filho, coordenador nacional da Pastoral do Turismo, contou que, das 372 igrejas soteropolitanas, 32 foram selecionadas e distribuídas em três roteiros para visitação: o Caridade e Fé, na região da Cidade Baixa; o Arte e Fé, na região do Pelourinho; e o Conventos e Mosteiros, em formatação.

Padre Manoel destacou ainda igrejas que não são tão conhecidas, mas também são especiais, como a de São Raimundo, no Centro. “Ela é pequenininha, mas, além de possibilitar ver de perto o altar, que é maravilhoso, ainda tem os doces e sequilhos fantásticos feitos pelas irmãs oriundas do Convento dos Humildes, em Santo Amaro”, completou.

Próxima edição – A próxima edição do Live Tour Salvador, realizado pela Prefeitura em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagem (Abav), vai abordar o trecho entre o Bonfim e o Humaitá, também na Cidade Baixa. A transmissão ocorrerá na terça-feira (6), às 16h, nas redes sociais do Visit Salvador da Bahia (Facebook, Instagram e YouTube). O projeto é desenvolvido com o objetivo de impulsionar o turismo na cidade, fortemente impactado pela pandemia de Covid-19.

Confira a Live Tour Salvador Santa Dulce dos Pobres: www. youtube. com/ watch?v=DHY9nORFBMs

Turismo na Baía de Todos-os-Santos ganha incremento com obras do Prodetur e Baía Viva

Iniciativa que visa fomentar o turismo náutico na Baía de Todos-os-Santos (BTS), o Prodetur Nacional Bahia encontra uma contrapartida na esfera privada, nas ações que a Fundação...

Homem descumpre medida protetiva e acaba preso pela ORMP

Um homem foi preso em flagrante por equipes da Operação Ronda Maria da Penha (ORMP), no município de Juazeiro, Norte do estado, após descumprimento de medida protetiva...

Fortalecimento da política da Educação Profissional na Bahia com o Educar para Trabalhar é discutido durante encontro virtual, nesta sexta (23)

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia promove, nesta sexta-feira (23), às 17h30, um encontro virtual do Programa Educar para Trabalhar, desenvolvido no âmbito do Estado...

Agricultura familiar baiana conta com modalidade de assistência técnica inovadora

A Bahia inova com uma modalidade de assistência técnica e extensão rural (Ater) direcionada para o fortalecimento de sistemas produtivos estratégicos da agricultura familiar. Com o Mais...