Violência não será resolvida com proibição de festas tipo paredão, afirma Sílvio Humberto

O vereador Sílvio Humberto(PSB) manifestou preocupação com os crescentes casos de violência urbana e de gênero em Salvador, sobretudo nos últimas semanas, em que jovens foram assassinados e ficaram feridos por tiros disparados aleatoriamente por traficantes de drogas contra multidões.

Para Humberto, a violência não será resolvida apenas com a realização de concursos no setor de segurança e mais policiamento. “São fatos que evidenciam que o buraco é mais profundo, e que não vamos resolver proibindo seletivamente festas realizadas em comunidades periféricas, responsabilizando a família, culpabilizando as vítimas. Estamos diante de um problema grande, histórico, multicausal e que precisa ser enfrentado de frente, com diálogos amplos sobre racismo, machismo, violência de gênero, drogas. É urgente investir em pessoas, na juventude, nas crianças, no acesso à educação, à cultura, à cidadania”, defende.

Como medida de enfrentamento à violência após chacina no bairro do Uruguai, em Salvador, o governo do estado proibiu a realização de festas tipo “paredão” na Bahia. No entanto, segundo o edil, a determinação do governador não impede a ocorrência de roubos, assaltos e mortes. “Temos o triste exemplo da jovem Késia Stefany, assassinada pelo namorado, um advogado, no bairro do Rio Vermelho. Uma mulher que, mesmo depois de morta, segue sendo violentada por diversas acusações, enquanto o seu algoz poderá responder pelo crime diretamente do conforto do seu lar. Logo, não se pode associar violência a paredão, e muito menos, criminalizar uma expressão cultural da população negra em nossa cidade. Violência é resultado de ausências”, finaliza.

Últimas Noticias

Quais os três signos mais impacientes do zodíaco? Confira

Determinados signos destacam-se pela sua impulsividade e consequentemente impaciência para lidar com o que quer que seja. De acordo...