Sinjorba e Fenaj se solidarizam com site Informe Baiano

O Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) se solidarizam com o site Informe Baiano e o jornalista Ramon Margiolle, pelas ameaças e intimidações promovidas pelo presidente da Câmara de Vereadores de Candeias, Silvio Correia (PV).

Segundo relatos feitos ao Sinjorba, na tarde desta quarta (20), Carlos Júnior, responsável pela Tecnologia da Informação do site Informe Baiano, foi intimidado na 20ª Delegacia Territorial da cidade de Candeias, pelo presidente da Câmara de Vereadores, Silvio Correia (PV).

O funcionário do site foi convocado à unidade policial para prestar esclarecimentos após queixa feita pelo vereador por conta de matéria publicada no site em agosto passado. Ao conversar com uma funcionária, pois não havia delegado no plantão, informou que não era o responsável pelo conteúdo do Informe Baiano e indicou o nome do gerente de jornalismo. Neste momento Carlos Junior foi surpreendido com a chegada de Silvio Correia, que se apresentou e mostrou a pistola que estava na cintura, além de um distintivo da Polícia Civil.

O presidente da Câmara passou então a falar diretamente a Carlos, exigindo que matéria do site que o citava fosse retirada do ar e o ameaçou, afirmando que sua situação ficaria muito difícil caso isso não ocorresse. Ele também apontou o funcionário do IB a dois homens que chegaram na Delegacia depois. “Esse aí é o rapaz que está falando de mim no site. Isso não vai ficar assim. Ou vocês removem a matéria ou eu não vou sossegar. Disse também que eu era muito ousado e que eu iria ver”, teria afirmado o vereador.

O Sinjorba e a Fenaj afirmam ser no mínimo estranho que, numa situação dessas, sem que haja acareação ou a presença de um delegado, o vereador estivesse presente no local do depoimento, com acesso à unidade policial portando uma arma. As entidades esperam que isso seja apurado e que a Delegacia e a Polícia Civil expliquem o motivo desse ocorrido.

Para as entidades, as leis brasileiras dão àqueles que se sintam prejudicadas por matérias jornalísticas o direito de buscar reparação através das medidas legais. Vivemos em um estado democrático de direito, não cabendo atitudes de intimidação e ameaças, como a observada neste caso.

A partir de 2019 cresceu o número de ataques à atividade jornalística no Brasil, partindo de pessoas ligadas à política e órgãos de segurança, e até de cidadãos comuns, que têm se sentido livres para praticarem arbitrariedades, ameaças, intimidações e violência física contra profissionais de imprensa. Este caso envolvendo o presidente da Câmara de Candeias se somará a outros que envergonharão a Bahia no Relatório 2021 da “VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTASE LIBERDADE DE IMPRENSA NO BRASIL”.

Últimas Noticias

Bruno Reis, Marcell e Leo garantem que obras do Hospital Público Veterinário começam esse ano

O vice-presidente estadual do PSDB e protetor dos animais, Marcel Moraes, esteve reunido com o prefeito Bruno Reis e...