Murais na fachada de prédios no Comércio chamam atenção para preservação ambiental

A 3ª edição do Projeto MURAL, coletivo de artistas baianos que promovem intervenções urbanas em Salvador, vai montar 400 m² de arte vertical nas fachadas de prédios no Comércio. As obras, que têm como tema sustentabilidade e preservação ambiental, integra uma parceria inédita do movimento com a Virada Sustentável Salvador, que acontece entre quarta, 15, e domingo, 19. O festival conta com o apoio da Ball e patrocínio da Braskem e do Governo da Bahia, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura.

Os trabalhos foram produzidos pelos artistas Sirc, Tarcio V, Isabela Seifarth e Zana Nacola, utilizando uma série de técnicas, como desenho, pintura, graffiti e stencil. Na obra “Se plante”, em um paralelo com uma bananeira, Sirc faz referência aos recursos renováveis oferecidos na natureza, chamando atenção para a sua grandiosidade.

Foto: Caio Lirio

Já o artista Tarcio V traz de suas memórias afetivas a figura humana de um pescador com a obra “O pescador da cidade velha”. No trabalho, Tarcio V destaca a importância do mar para nossa sobrevivência.

A artista Isabela Seifarth trouxe a figura central da cabocla como signo marcante da miscigenação do povo brasileiro e do imaginário da festa da independência da Bahia, o 2 de julho. Mensagens sobre preservação do meio ambiente e dos povos originários do Brasil estão presentes na obra batizada de “Salvem as matas, salve à Cabocla”.

As conexões entre corpo, terra e mar marcam a obra “O mar em mim” de Zana Nacola. Através deste trabalho, a artista oferece uma pausa contemplativa sobre a sensibilidade humana e suas relações com a natureza.

Foto: Caio Lirio

Para a idealizadora e curadora do Projeto MURAL, Vanessa Vieira, os trabalhos contribuem na “formação de plateia apreciadora da arte contemporânea baiana, e suas infinitas possibilidades de interações e reflexões”. Instalados para a Virada, os murais ficarão como legado do festival para a cidade. “O Comércio é patrimônio histórico da capital baiana, onde houve um intenso movimento muralista com artistas de grande importância na década de 50 e 60 do século passado. Muitas dessas obras ainda estão preservadas nas áreas internas das edificações, com pouca visibilidade de público. Então fazer estas grandes empenas nas fachadas externas dos prédios da região, é poder proporcionar esta experiência estética a todos os públicos”, conta.

Além dos murais, o festival terá mais de 20 atividades gratuitas e diversas, entre intervenções urbanas, performances, discussões e exposições de obras de artes locais e internacional. Confira a programação completa do evento no site da Virada (https://www.viradasustentavel.org.br/programacao-2021).

Últimas Noticias

Leo Prates recebe homenagem do Conselho Regional de Odontologia por trabalho na Saúde

O deputado Leo Prates foi homenageado na noite desta sexta-feira (21) pelo Conselho Regional de Odontologia do Estado da...